Clube de golfe contrata homem com arma de pressão para assassinar esquilos e outros animais

654
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Desde quando a vida de outro ser vivo é menos importante do que… golfe? Ao que parece, é assim que pensam os administradores do The Trump National Golf Club em Rancho Palos Verdes, Califórnia, EUA.

De acordo com uma petição no site Care2, surgiram fotos de um homem com um rifle mirando e atirando em animais inocentes com uma arma de pressão. Supostamente, o clube contratou um homem para matar cães-da-pradaria, esquilos e outros animais ao redor do campo de golfe sem permissão.

Isso não é somente uma maneira desumana de lidar com os problemas dos roedores, mas é também ilegal disparar armas na cidade de Rancho Palos Verdes. Este método mostra a falta de habilidade em resolução de problemas e um desprezo absoluto pela vida. O clube de golfe, com certeza, tem dinheiro e recursos para procurar uma maneira mais humana de lidar com o problema dos roedores. Algumas dessas alternativas envolvem o uso de alçapões, cercas, odores e sons.

Os alçapões possibilitam que esses roedores sejam capturados ilesos e libertados de volta à natureza. Outra maneira efetiva detê-los é o uso de repelentes não tóxicos, que podem ser distribuídos por toda a propriedade usando-se uma mangueira. Os roedores também são sensíveis a vibrações no solo, então investir em dispositivos especiais que emitem esses distúrbios pode ser outra solução efetiva.

Seja em um campo de golfe ou em um jardim, os roedores servem como uma parte importante do ecossistema, e simplesmente matá-los não é a maneira correta de lidar com o problema. Afinal, quando um é morto, outro irá surgir. A prevenção e a implementação das dicas acima ajudarão a mantê-los afastados e a preservar a paisagem no seu melhor estado. Para assinar a petição e passar essas soluções para o proprietário e gerente do Trump National Golf Course, clique aqui.

ASSINE A PETIÇÃO

Por Nadine Rich / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.