Cuidadores procuram família para cadela mantida presa sem água e comida em Brasília, DF

4476
Fotos: Arquivo pessoal
Fotos: Arquivo pessoal

Hope significa esperança em Inglês e é exatamente isso o que a cadela que carrega esse nome espera da vida de agora em diante. Com aproximadamente um ano, ela permaneceu durante seis meses como cão de guarda em uma residência no Jardim Ingá (GO), onde era mantida sozinha, sem água e sem comida. O destino dela, porém, mudou nesse domingo (27), ao ser resgatada pela cuidadora de animais Carolina Mourão. Desde então, Hope aguarda a chance de encontrar uma família que a acolha.

A vida da cachorra começou a mudar quando, sensibilizados com a situação dela, vizinhos compartilharam um vídeo em que Hope aparecia, muito magra e desnutrida, no quintal de uma residência. Rapidamente, as imagens viralizaram em grupos do WhatsApp e chegaram nas mãos da assessora do Senado Maria Silva.

Apaixonada por cachorros e responsável por quatro, sendo três adotados, a servidora decidiu pedir ajuda à Carolina para que elas tentassem resgatar a cadela. No início da tarde, as duas seguiram para a delegacia de Goiás, onde registraram duas ocorrências por maus-tratos.

Imediatamente, os bombeiros foram acionados e, como a casa estava vazia, precisaram pular o muro e quebrar a grade do portão para libertar o animal. “Ela estava muito desidratada e acuada. Quando entramos no local, percebemos ainda que ela tinha uma ferida na barriga”, relembrou Maria.

De lá, Hope seguiu para uma clínica particular na Asa Sul, onde recebeu o tratamento adequado. Para a felicidade de todos, ela já recebeu alta e aguarda a nova família em um lar de apoio vinculado à Federação de Defesa do Animal do DF. “É importante frisar que, quem quiser adotá-la, deve se comprometer e dar o amor e carinho que ela merece, além de todos os cuidados necessários, claro”, frisou Carolina.

Punição

Até a publicação desta reportagem, o responsável pela cadela não havia sido identificado. De acordo com vizinhos, um pedreiro estaria encarregado de ir diariamente ao local. Os dois serão notificados e autuados por maus-tratos. Se condenados, podem pegar de três meses a um ano de prisão. A pena, no entanto, pode ser revertida em pagamento de multa ou prestação de serviços à comunidade.

Carolina diz que não irá abrir mão dos direitos de Hope. “Vamos solicitar que os responsáveis pelo abandono banquem as despesas com a clínica e ainda garantam o direito de medicamentos e alimentação durante toda a vida da cadela”, pontuou a cuidadora.

Apesar da experiência traumatizante, Carolina diz que a força do animal é comovente. “Mesmo depois de tudo o que passou, Hope permanece abanando o rabo o tempo todo. Ela já está se alimentando direitinho e sendo cuidada. Ela é uma lutadora”, gabou-se.

Doações

O que Hope viveu nos últimos seis meses faz parte da vida de inúmeros animais no Distrito Federal. Como as despesas com rações e medicamentos são altas, Carolina pede ajuda com doações de rações, itens básicos ou, até mesmo, dinheiro.

Quem quiser ajudar, seja adotando a cadela, ou contribuindo com o que for, pode entrar em contato com a cuidadora por meio do telefone: (61) 98120-4100

Por Lia Sahadi

Fonte: Jornal de Brasília

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.