De onde vem a carne que você come? Esses vídeos explicam as coisas horríveis que acontecem em abatedouros

1070
Fotos: Reprodução/Internet
Fotos: Reprodução/Internet

Você já pensou no que aconteceu para que seu bife venha até seu prato? Quando você souber, pode ser que não tenha mais tanta vontade de consumi-lo. A indústria da carne tem procedimentos muito cruéis com os animais que serão comercializados para a alimentação, e você se assustaria ao saber o que acontece antes da carne chegar aos mercados.

O assunto desperta muita curiosidade, por isso selecionamos três filmes que contam um pouco da situação dos animais em abatedouros e das carnes nas fábricas, além de reflexões sobre se é realmente necessário consumir proteína animal. Ligue sua TV, sente no sofá e veja os seguintes vídeos:

1. A Carne é Fraca (2004)

O documentário fala sobre a questão ambiental e como a pecuária é prejudicial para nossos recursos hídricos. Você sabia que para produzir um quilo de carne gasta-se mais de 17 mil litros de água? A estatística assustadora é verdadeira e passível de reflexão. Ele também aponta a crueldade com os animais nas fábricas, como pintinhos sendo exterminados e bezerros que nunca viram a luz do dia.

Clique AQUI para assistir.

2. Engrenagem (2015)

Para quem não tem muito tempo, o documentário de apenas 16 minutos é um tiro rápido de conscientização sobre consumo de carne. Ele engloba a questão da poluição e a preservação de recursos vegetais e tem uma linguagem descontraída de explicar dúvidas frequentes sobre a indústria da carne.

Clique AQUI para assistir.

3. Terráqueos (2005)

O famoso documentário é considerado um dos mais fortes de todos os tempos e causa um incômodo necessário ao escancarar a violência aos animais em abatedouros. Ele não evita cenas chocantes e mostra dezenas de agressões desnecessárias e cotidianas que acontecem no processo de transformar um animal em bem de consumo. Prepare os lenços de papel, pois o choro é presença confirmada.

Clique AQUI para assistir.

O veganismo e o vegetarianismo são alternativas sensata para evitar colaborar com uma indústria que mata com muita crueldade animais inocentes todos os dias, além de destruir aos poucos o planeta. E aí, vamos repensar nosso consumo? 🙂

Por Evelyn Mackus

Fonte: Best of Web


Nota do Olhar Animal: O vegetarianismo entendido como a dieta que exclui totalmente produtos de origem animal (que é a sua definição original) contribui muito para que cessem o danos causados aos animais ditos “de consumo”. O vegetarianismo entendido como uma dieta que aceita o consumo de ovos, leite, mel e outros produtos de origem animal (conceito deturpado, criado por sociedades vegetarianas) ajuda a manter e a naturalizar modos de exploração extremamente danosos, abusivos e cruéis contra os animais. O destaque neste aspecto vai para a indústria de laticínios, que pode ser considerada ainda mais danosa para os bichos do que a de carne, na medida em que todos eles, como na indústria da carne, são abatidos ao final de seu ciclo produtivo, mas isto apenas depois de muitos anos de torturas infligidas nas linhas de produção. A única forma de poupar os animais de todo esse sofrimento é o veganismo, cuja adoção afetará positivamente não só os animais explorados para alimentação, mas também aqueles vitimados pelas indústrias do vestuário, cosméticos, entretenimento, etc.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.