Defensores dos animais querem o fim das charretes em Tiradentes, MG

A polêmica surgiu devido a supostos maus-tratos dos charreteiros contra os cavalos na cidade histórica mineira.

2657
Verdadeiros símbolos da cidade histórica de Tiradentes (MG), as charretes viraram polêmica devido a supostos maus-tratos dos charreteiros contra os cavalos (Foto: Zuleika de Souza / CB / D. A. Press)
Verdadeiros símbolos da cidade histórica de Tiradentes (MG), as charretes viraram polêmica devido a supostos maus-tratos dos charreteiros contra os cavalos (Foto: Zuleika de Souza / CB / D. A. Press)

As charretes utilizadas em passeios turísticos na cidade histórica mineira de Tiradentes estão no centro de uma grande polêmica. Isso porque defensores dos animais e representantes do poder público estadual querem que esses veículos sejam substituídos por outros que não tenham tração animal, já que os cavalos que puxam as charretes supostamente estariam sofrendo maus-tratos por parte dos charreteiros.

O problema veio à tona há cerca de três meses, após um vídeo ser publicado pelo deputado estadual Noraldino Júnior (PSC), em sua página no Facebook, durante uma visita a Tiradentes. Na publicação, datada de 7 de agosto, o parlamentar – que é presidente da Comissão Extraordinária de Direitos dos Animais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) – diz que observou cavalos sendo chicoteados pelos charreteiros e, por isso, se reuniu com a prefeitura da cidade para abordar o assunto e propor que “seja reforçada a fiscalização da prefeitura em relação à saúde dos animais e às ações dos charreteiros, bem como a extinção do uso de chicotes”.

A polêmica com as charretes na cidade histórica levou à realização de uma audiência pública na ALMG na quinta-feira, dia 26 de outubro. Na reunião, Noraldino Júnior propôs que os veículos de tração animal utilizados em Tiradentes sejam substituídos por quadriciclos. Ainda de acordo com o deputado, a aquisição dos veículos ciclomotores seria feita por meio de emendas parlamentares de sua autoria.

Maus-tratos

A defensora dos animais Luanda Conrado, moradora de Tiradentes, apoia o fim da atividade das charretes na cidade. “Além de serem chicoteados, os cavalos ficam das 7h às 19h sem água e sem comida, além de suportarem excesso de peso quando as charretes estão transportando os turistas”, reclama a ativista.

Defesa

A audiência pública que debateu essa polêmica questão, teve também a participação de um advogado representante dos charreteiros e do vice-prefeito de Tiradentes, Luiz Carlos Barbosa, além dos deputados estaduais Ivair Nogueira (PMDB) e Fabiano Tolentino (PSB), todos favoráveis à manutenção das charretes. Os principais argumentos dos defensores são de que a atividade é uma tradição e que garante o sustento de várias famílias.

De acordo com Ivair Nogueira, eventuais maus-tratos devem ser combatidos “com ações de conscientização e fiscalização”. A opinião do deputado foi endossada pelo advogado Luiz Carlos Barbosa, que, além de concordar com punições aos charreteiros que não tratarem bem os cavalos, disse se considerar um protetor dos animais.

O vice-prefeito Luiz Carlos Barbosa informou, durante a audiência pública, que um veterinário foi contratado pela prefeitura de Tiradentes para que os charreteiros sejam orientados quanto aos cuidados com os animais. Ainda segundo ele, está prevista a instalação de um espaço para os cavalos descansarem e se alimentarem de forma adequada no intervalo dos passeios.

Por Marcelo Fraga

Fonte: Revista Encontro

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.