DER/PR amplia sinalização para a proteção da fauna na PRC 280 – Olhar Animal
DER/PR amplia sinalização para a proteção da fauna na PRC 280

DER/PR amplia sinalização para a proteção da fauna na PRC 280

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) ampliou a sinalização vertical ao longo da PRC 280, alertando motoristas sobre a passagem de animais silvestres na rodovia. A ação auxilia o programa de monitoramento de fauna atropelada pela Coordenação Regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio),  em Palmas, sul do Paraná.

As seis novas placas foram instaladas na área de abrangência da Unidade de Conservação(UC) Federal Refúgio de Vida Silvestre dos Campos de Palmas, onde ficou constatado maior índice de atropelamento de animais. Conforme os gestores, a sinalização é necessária para orientar os motoristas sobre a constante travessia dos animais. Com isso, ao reduzir a velocidade, contribuem para a preservação da fauna brasileira.

Segundo pesquisas do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE) da Universidade Federal de Lavras (MG) mais de 450 milhões de animais silvestres são atropelados e morrem por ano nas estradas brasileiras.

O Programa de Monitoramento ao longo da PRC 280 é realizado desde outubro de 2016. Os grupos de mamíferos de pequeno e médio porto são os que possuem maior registro de atropelamento. Nesta região, na lista de ameaçados de extinção, estão a Raposinha-do-campo e o Lobo-guará. Há diversos registros de atropelamentos de Tamanduá-mirim, Mocho-dos-banhados, Veado-catingueiro  e  Raposinha-do-campo .

Quem transita pela rodovia, sentido Palmas e Clevelândia, pode visualizar sinalizações vertical e horizontal com o mesmo fim. Nas proximidades da Erva Mate Pagliosa e Trevo do Rincão, numa extensão de 600 metros, em 2014, foram aplicadas faixas sonorizadoras chamando atenção para a necessidade de redução da velocidade para proteger os animais oriundos da Estação Ecológica da Mata Preta, no município de Abelardo Luz(SC).

Na divisa dos estados do Paraná e Santa Catarina, o monitoramento é feito desde 2009, quando foram selecionados três pontos das rodovias PRC-280 e SC-155 e outros dois trechos de estradas rurais, totalizando 78 quilômetros de extensão entre Palmas, Clevelândia e Abelardo Luz.

Todos os atropelamentos são localizados e georreferenciados e os animais são identificados. Com estas e outras informações é montado um banco de dados sobre fauna que inclui fotografias dos atropelamentos, dos avistamentos e de rastros.

ICMbio

A Coordenação Regional do  ICMBio é responsável por três Unidades de Conservação Federal, que totalizam 23.296,06 hectares. O Refúgio da Vida Silvestre nos Campos de Palmas(16.594,17 hectares), entre os municípios de Palmas/General Carneiro, está sob a gestão dos analistas, Ricardo Jerozolimsk e Márcia Abraão.  A UC da Mata Preta, em Abelardo Luz(SC) com 6.573,48 hectares, tem a chefia de Antonio Correa Junior. O Parque das Araucárias(PARNA), com 12.841 hectares, entre Passos Maia e Ponte Serrada, também no Oeste catarinense, pelo analista, Juliano Oliveira.

Por Ivan Cezar Fochzato

Fonte: RBJ

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.