Disque-denúncia de maus-tratos a animais registra cerca de 60 casos em três meses em Londrina, PR

Em situações mais graves, a SEMA encaminha o animal para organizações de proteção e envia o caso para a Polícia e o Ministério Público. O problema são as falsas denúncias.

251

Desde agosto, a Secretaria Municipal de Ambiente já recebeu cerca de 60 denúncias relacionadas a maus tratos a animais, principalmente os domésticos e em sua maioria cães.

De acordo com a Secretária de Ambiente, Roberta Queiróz, muitas dessas denúncias, porém, eram falsas, o que acaba prejudicando o trabalho. Para a Secretária, o serviço vem funcionando bem, apesar do pouco tempo de implantação. Roberta Queiróz diz que a parceria com a vigilância ambiental é fundamental, já que a Sema não tem médico veterinário nos quadros.

A Secretária explica que se a denúncia for confirmada pelos fiscais da Prefeitura, a Sema pode apreender o animal, além de aplicar uma multa ao proprietário ou agressor. Em casos muito graves, a denúncia é encaminhada à Polícia e ao Ministério Público. Roberta Queiroz diz que os animais resgatados são encaminhados a organizações não-governamentais parceiras, que ficam como fiéis-depositárias dos bichos.

Segundo a Secretária, há denúncias que envolvem todo tipo de situação, dos donos que simplesmente não cuidam e maltratam os animais, aos acumuladores, que têm, em muitos casos, dezenas de cães em casa e não dão conta de cuidar de todos.

Roberta Queiroz diz que é importante o envolvimento da população com o serviço, e que as denúncias falsas só atrapalham o serviço. Ela diz que pra evitar isso, a secretaria passou a exigir a identificação do denunciante, mas o sigilo é garantido. De acordo com a Secretária, além da fiscalização, o serviço tem o objetivo de orientar os donos de animais.

As denúncias de maus-tratos a animais podem ser feitas pelo 3372-4770. O anonimato é garantido. Após receber a informação, uma equipe da SEMA vai até o local para averiguar a situação.

Por Marcos Garrido

Fonte: CBN Londrina

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.