Diversidade cultural dos chimpanzés está ameaçada por humanos

Diversidade cultural dos chimpanzés está ameaçada por humanos

Como os humanos, os chimpanzés são culturalmente diversos, mas essas diferenças estão sendo afetadas pela incursão humana, disseram pesquisadores internacionais em um estudo inovador publicado nesta quinta-feira.

Os resultados, publicados na revista americana Science, mostram que a diversidade comportamental dos chimpanzés foi reduzida em 88% em média nas áreas com maior impacto humano, em comparação com as florestas intactas remotas.

Nas florestas tropicais e savanas que são os habitats naturais dos chimpanzés, os pesquisadores observaram 31 comportamentos que não eram universais ou inatos entre os chimpanzés e variavam de um grupo para outro, num total de 144 comunidades de chimpanzés estudadas em 17 países da África Equatorial.

Refletindo a diversidade, nem todas as comunidades de chimpanzés usam as mesmas ferramentas para caçar ou escavar. Eles tampouco extraem cupins, formigas, mel e nozes da mesma maneira. Seu uso de pedras, lagos e cavernas também varia.

Os pesquisadores pressupõem que essa diversidade é passada entre indivíduos dentro do grupo.

Eles basearam suas descobertas em estudos existentes complementados com suas próprias observações de campo de 46 comunidades nos últimos nove anos.

Tais dados sobre o comportamento dos chimpanzés nunca haviam sido compilados antes, disseram os pesquisadores. Até agora, os cientistas tinham se concentrado na perda da diversidade genética ou no declínio populacional causado pelo homem.

Suas descobertas significam que quanto mais os humanos perturbam o meio ambiente com estradas, infraestrutura, desmatamento, agricultura, plantações e assim por diante, menos diverso é o comportamento dos chimpanzés.

Por exemplo, pesquisadores observaram áreas onde a quebra de nozes havia acabado.

“Estes são comportamentos muito barulhentos, e os caçadores poderiam localizá-los facilmente”, disse à AFP Hjalmar Kuehl, ecologista do centro de pesquisas alemão iDiv e do Instituto Max Planck de Antropologia Evolucionária.

Outro exemplo de comportamento ruidoso e potencialmente vulnerável: o arremesso de pedras por chimpanzés na Guiné-Bissau, uma forma de comunicação em que os macacos lançam pedras nas árvores.

A pesca de algas com paus, vista na Guiné, também é ameaçada pela invasão humana.

“Nossas descobertas sugerem que estratégias para a conservação da biodiversidade devem ser estendidas para incluir a proteção da diversidade comportamental dos animais também”, disse Kuehl.

Ele propõe criar “sítios do patrimônio cultural dos chimpanzés”, um conceito que pode ser estendido a outras espécies com alto grau de variabilidade cultural, incluindo orangotangos e baleias.

Fonte: Isto É

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.