Dois casos de abusos contra animais são registrados em Pirassununga, SP

Dois casos de abusos contra animais são registrados em Pirassununga, SP; cão é morto a pauladas

A Polícia Militar e Guarda Civil Municipal de Pirassununga registraram nos últimos dias dois casos de abusos contra animais. Em um deles, nesta sexta-feira (30), um cachorro acabou morrendo em uma chácara e no outro – ocorrido na quinta-feira (29) um cavalo foi vítima de maus tratos em via pública.

1º caso
No início da tarde da última quinta-feira (29), os GCMs Rozada e Alves foram acionados via CECOM a comparecerem á Rua Santo Antônio, Vila Brás, tendo em vista que testemunhas haviam presenciado um cavalo puxando uma carroça pela Avenida Newton Prado, sendo que o animal estaria sofrendo maus-tratos.

Uma testemunha acompanhou a carroça, que se deslocava para a Vila São Pedro, até que a abordagem dos GCMs foi feita. Foi visto que o cavalo estava bastante magro e cansado, sendo solicitada a presença de um veterinário ao local, que constatou os maus tratos. O laudo apontava que o animal estava ofegante, exaurido e que não conseguia se manter em pé.

O cavalo foi recolhido ao Canil Municipal e a carroça liberada. Na sequência, o homem que conduzia a carroça, de 34 anos, foi encaminhado ao Distrito Policial.

2º caso
Na noite de sexta-feira (30), por volta das 22h30, os PMs Lopes e Franco estavam em patrulhamento quando foram chamados até uma chácara situada n Rua José Augusto, Vila Santa Terezinha, pois vizinhos haviam presenciado um homem de 60 anos agredindo a pauladas um cachorro – que provavelmente havia morrido em virtude disso.

De acordo com o boletim de ocorrências, chegando ao local, os policiais se depararam com o acusado vindo ao encontro deles com uma carriola levando o animal morto dentro de um saco plástico. Questionado, o autor alegou que matou o animal porque ele estaria matando as galinhas de criação do vizinho e alguns frangos de sua propriedade. O corpo do animal ficou aos cuidados do próprio autor, uma vez que não há local específico para o seu descarte.

Em razão de tais fatos, o homem foi conduzido ao Plantão Policial onde, segundo a polícia, apresentou versão diferente dos fatos. Ele disse que não matou o seu cachorro e que o animal foi atropelado.

O delegado Dr. João Fernando Baptista reputou que a conduta do autor amolda-se em artigo da Lei Ambiental (maus tratos contra animais). Foi determinada elaboração de Termo Circunstanciado. Após prestar declarações, o homem se comprometeu a comparecer na audiência do JECRIM e foi liberado.

Fonte: FM Mundial

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.