Macacos são alvos desta doença que atinge animais e também humanos. Foto: Ilustração

Dois macacos são encontrados mortos com febre amarela na UFMT – alerta

Dois macacos encontrados mortos no campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em Cuiabá estavam com febre amarela, apontaram exames feitos pela Vigilância de Zoonoses de Cuiabá.

Os corpos dos animais foram encontrados em dezembro passado e foram encaminhados para os exames. Nesta semana, os resultados foram divulgados pela vigilância para, segundo a entidade, que o caso seja divulgado pela UFMT para os alunos e para a população.

O principal objetivo da divulgação dos resultados, segundo a entidade, é alertar sobre o caso.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a única preocupação necessária é em casos de alunos e pessoas que vivam no entorno da universidade que não foram vacinadas. Nestes casos, a orientação é que busquem uma unidade de saúde para que possa se proteger da doença.

A SMS afirmou que não há motivo para que a população que se vacinou contra a doença se preocupe com o caso. “No ano passado, foi realizada uma intensa campanha contra a febre amarela e, quem já foi imunizado, não corre mais risco de ser infectado”, informou a pasta, por meio de nota.

A secretaria afirmou que durante a campanha de vacinação, foram prestadas todas as orientações para prevenção da doença. “Devido ao fato de Cuiabá ser uma área de recomendação de vacinação, a população está bem coberta”, afirmou a SMS.

A pasta frisou que a transmissão da febre amarela de macacos para homens acontece somente em ciclo silvestre.  Desde a retirada dos macacos achados mortos na UFMT, conforme a SMS, diferentes mosquitos encontrados na unidade foram analisados.

“Não foi encontrada a espécie que faz a transmissão em ciclo silvestre”, amenizou a secretaria, que asseverou não haver riscos de transmissão da doença no campus por meio do mosquito Aedes aegypti.

“A vigilância realizada no município com os Primatas Não Humanos – PNH é realizada justamente para evitar que a doença chegue ao homem e tem sido muito bem sucedida. Semanalmente acontecem reuniões  em sala de situação para discutir este e outros agravos”, pontuou a secretaria.

A UFMT não se pronunciou sobre o caso até a conclusão deste texto.

A doença

De acordo com o Ministério da Saúde, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda causada por vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre – quando há transmissão em área rural ou de floresta – e urbano.

Por Vinícius Lemos

Fonte: RD News

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.