Um dos ursos resgatados: animais sofreram maus-tratos e estão traumatizados - HANDOUT / AFP

Dois últimos ‘ursos dançarinos’ são resgatados no Nepal

Os dois últimos ursos quer eram obrigados a se apresentar para espectadores no Nepal foram resgatados. O macho Rangila, de 19 anos, e a fêmea Sridevi, de 17, eram mantidos na cidade de Iharbari. Na última terça-feira, a polícia rastreou os celulares dos propritários do local onde estavam os animais e os encontraram em um estado que classificaram como “angustiante”.

Bombeiros resgatam animais de escombros de casarão demolido no Maracanã Trinta e cinco gatos são resgatados com vida de escombros de demolição no Maracanã
Os ursos tiveram os dentes removidos, os narizes perfurados com uma barra quente e eram mantidos amarrados. Os responsáveis por torturar e manter presos os animais, Mohammad Salman e Mohammad Momtaz, receberam um “aviso severo” por parte das autoridades policiais.

Segundo Neil D’Cruze, da ONG Proteção Animal Mundial, contou ao “Huffington Post”, que os ursos dançarinos são ilegais no Nepal de acordo com a Lei de Proteção da Vida Selvagem de 1973. Ele disse ainda que essa prática centenária foi encerrada em países como a Grécia, a Índia e a Turquia. E acrescentou que os grupos internacionais de proteção animal tentam acabar com ela no Paquistão.

Capturar ursos e forçá-los a apresentações de dança é considerado cruel por uma série de razões, entre elas o treinamento doloroso ao qual são submetidos os filhotes. Geralmente, eles são tirados das mães — que quase sempre acabam mortas — quando ainda são muito jovens.

“Ambos os ursos (Rangila e Sridevi) estão em condições psicológicas péssimas, mostrando sinais de comportamento estereotipado, incluindo chupar as patas e balançar constantemente a cabeça, além de agressividade, devido ao treinamento cruel e constante que sofreram no cativeiro”, disse D’Cruze.

Os ursos foram levados para um parque nacional no Nepal. De acordo com a “National Geographic”, os dois dos homens que os possuíram foram temporariamente contratados para cuidar deles no parque. A medida visa a ajudá-los financeiramente para que não dependam mais da dança do urso para seu sustento.

A ideia é futuramente transferir Rangila e Sridevi para um santuário da vida selvagem na Índia. D’Cruze tem esperança de que os ursos possam se recuperar dos maus-tratos sofridos.

Os dois ursos resgatados - HANDOUT / AFP
Os dois ursos resgatados – HANDOUT / AFP

“Eles precisarão de cuidados especializados a longo prazo, mas muitos ursos que dançavam e foram resgatados conseguiram viver o resto de suas vidas pacificamente em santuários. Nós vamos trabalhar para que isso aconteça com Rangila e Sridevi, também!”, disse ele ao “Huffington Post”.

Fonte: O Globo

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.