Égua que fugiu do Jockey Club é sacrificada

Animal havia sofrido traumatismo craniano e não apresentava resposta a estímulos, após ser atropelada três vezes.

668
Foto: Alessandro Buzas/Futura Press/Estadão Conteúdo
Foto: Alessandro Buzas/Futura Press/Estadão Conteúdo

A égua de puro-sangue inglês de corrida, que fugiu do Jockey Club Brasileiro e acabou atropelada três vezes, na tarde de quarta (11), foi sacrificada pelos veterinários nesta quinta (12), pois havia sofrido traumatismo craniano e não apresentava resposta a estímulos. A informação foi confirmada ao Destak pela comunicação do Jockey.

Com o nome de Mary Happy, o cavalo havia fugido durante um passeio com seu tratador pelas instalações do Jockey, em um treinamento. A égua era mansa, de acordo com os veterinários, mas ficava estressada quando era colocada no ponto de partida nas corridas hípicas.

Em um primeiro momento, o animal colidiu com um homem que dirigia uma motocicleta. Desacordado, o motorista, que sofreu fratura na mandíbula, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Souza Aguiar, no Centro, onde segue internado em estado grave.

Assustada, a égua ainda foi atropelada por um veículo na avenida Borges de Medeiros. Já perto do túnel Rebouças, por volta das 16h20, foi atingida pela terceira e última vez, quando caiu. Lá mesmo, o animal recebeu atendimento médico veterinário, provocando a interdição de uma faixa de acesso ao túnel, segundo o Centro de Operações. Às 17h50, com o auxílio de uma ambulância própria, foi transferida de volta ao Jockey Club.

Fonte: Destak 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.