Eles resgataram porcos e perus de fazendas industriais e agora enfrentam décadas de prisão

Eles resgataram porcos e perus de fazendas industriais e agora enfrentam décadas de prisão

No outono de 2017, Glenn Greenwald relatou uma busca nacional pelo FBI por dois porcos chamados Lily e Lizzie. Os porcos foram retirados de uma fazenda industrial em Utah por ativistas dos direitos dos animais de um grupo chamado Direct Action Everywhere. Do ponto de vista dos ativistas, os porcos foram resgatados. Do ponto de vista da Smithfield Farms, a empresa multinacional de propriedade chinesa que possui a fazenda, eles foram roubados.

A Direct Action Everywhere, também conhecida como DxE, envolve-se em uma prática chamada “resgate aberto”. O resgate aberto envolve a entrada, sem autorização, em instalações das indústrias de animais, como fazendas, matadouros e fábricas de filhotes, a documentação das condições dentro deles e a remoção de tantos animais quanto possível, geralmente entre os doentes e feridos. Os ativistas não usam máscaras e não fazem nenhum esforço para esconder suas identidades; eles publicam os vídeos nas mídias sociais para o mundo ver. Por meio de um processo praticamente convidativo, os ativistas pretendem demonstrar que as leis que consideram esses animais meras propriedades estão erradas e que a violação dessas leis é um imperativo categórico.

Desde que a história de Greenwald foi publicada, os promotores em Utah acusaram seis ativistas da DxE de múltiplos delitos, tanto pela ação em Smithfield quanto por um resgate aberto separado de perus em uma fazenda no Utah, de propriedade da Norbest. Em Utah, roubar propriedades no valor de menos de US$ 1.500 é geralmente uma contravenção. Mas os legisladores criaram uma exceção especificamente para o benefício da indústria de produção animal. Se a propriedade em questão é um animal “criado para fins comerciais”, então, não importa quão pequeno o valor econômico que esse animal possa ter, o crime é um delito grave. Por causa dessa exceção, os ativistas da DxE irão potencialmente enfrentar décadas de prisão.

Nosso novo documentário conta o restante da história até o momento. É um exemplo alarmante do poder da pecuária industrial, a confluência de interesses entre a indústria e a execução da lei e o tratamento terrível dos animais na produção dessa indústria.

Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: The Intercept

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.