Em SC, crianças dão exemplo e criam projetos de solidariedade

201
Alan, Manuela e Marcella criaram projetos de solidariedade (Foto: Arquivo Pessoal)
Alan, Manuela e Marcella criaram projetos de solidariedade (Foto: Arquivo Pessoal)

Neste dia 12 de outubro, o G1 Santa Catarina conta a história de três crianças que fazem o que muito adulto não faz: dedicam um pouco de si pelo bem pelos outros. Em Florianópolis, a Casa Lar Luz do Caminho nasceu do sonho de uma garota de 9 anos. Em Tubarão, um menino de 12 mobiliza escolas para revitalizar as praças da cidade e, em Joinville, uma menina dessa mesma idade trabalha em benefício de cães carentes.

Alan criou projeto para revitalizar praças de Tubarão (Foto: Isabelle Zabot/Arquivo Pessoal)
Alan criou projeto para revitalizar praças de Tubarão (Foto: Isabelle Zabot/Arquivo Pessoal)

Quando chegou a Tubarão, no Sul catarinense, aos 6 anos, Alan Zabot Costa se surpreendeu com a falta de uma área de lazer na cidade. Para tentar resolver o problema, aos 12 anos, ele mobiliza escolas para revitalizar cinco praças.

“Eu passei boa parte da minha vida em São Paulo, onde há muitos parques. Ao fim desta revitalização, vamos dar um prêmio para a escola que tiver a praça mais bonita”, contou o garoto.

Colegas de Alan trabalharam na revitalização da praça (Foto: Isabelle Zabot/Divulgação)
Colegas de Alan trabalharam na revitalização da praça (Foto: Isabelle Zabot/Divulgação)

A escola de Alan foi a primeira a reformar uma praça. A partir de 21 de outubro outras unidades educacionais farão limpeza, plantio de mudas e pintura em outras quatro praças. Agora, ele espera a ajuda de voluntários para oferecer atividades recreativas nesses locais e aceita doações para o prêmio a ser entregue à escola que conseguir o melhor resultado.

Alan com os colegas de escola após o trabalho na praça (Foto: Isabelle Zabot/Arquivo Pessoal )
Alan com os colegas de escola após o trabalho na praça (Foto: Isabelle Zabot/Arquivo Pessoal )

Animais

Apaixonada por animais desde pequena, Manuela de Carvalho passou a fazer aulas de costura aos 9 anos para criar roupas para os seis cães da família. “Só que ela descobriu que eles não gostavam de usar roupas, então decidiu doá-las para o abrigo de cães de Joinville”, contou Caroline Canabarro Fernandes, mãe da menina.

Manuela é voluntária da causa animal desde os 9 anos (Foto: Manu Pets/Divulgação)
Manuela é voluntária da causa animal desde os 9 anos (Foto: Manu Pets/Divulgação)

Quando o veterinário do abrigo recomendou que os animais não fossem vestidos, por questões práticas, a criança decidiu vender as roupinhas e destinar os recursos ao abrigo. Assim, surgiu o primeiro bazar, incrementado por artigos adquiridos com uma doação de R$ 500 feita pelo pai de Manuela.

Atualmente, com 12 anos e matriculada em uma escola em tempo integral, ela precisou restringir a participação no bazar para edições mensais e para cães adotados por protetoras independentes. “São mulheres que criam até 40 cães em casa. Ajudamos na compra de remédios e para atendimento veterinário”, contou a mãe.

Manuela durante um bazar em prol dos animais carentes (Foto: Manu Pets/Divulgação)
Manuela durante um bazar em prol dos animais carentes (Foto: Manu Pets/Divulgação)

Manuela atualiza uma página no Facebook, a Manu Pets, pela qual monitora animais em situação de vulnerabilidade, busca auxílio médico e ajuda no processo de adoção. Ela ainda dá palestras para crianças e adultos sobre a importância da proteção animal. “Eu vejo o quanto uma coisinha pode mudar”, disse ela sobre por que gosta de ser voluntária.

Manu dá palestras a crianças e adultos sobre cuidados com animais (Foto: Manu Pets/Divulgação)
Manu dá palestras a crianças e adultos sobre cuidados com animais (Foto: Manu Pets/Divulgação)

Lar

A Casa Lar Luz do Caminho em Florianópolis surgiu do sonho de uma criança. Aos 9 anos, Marcella dos Santos, surpreendeu o pai em 2009 com o pedido para trazer crianças órfãs para a casa da família. “Vi uma propaganda na TV e falei pro pai que queria ter uma casa para acolher crianças e ele acabou aceitando a ideia”, contou a menina.

Reforma da Casa Lar foi concluída em 2011 e passou a abrigar crianças em situação de risco (Foto: Maurício dos Santos/Arquivo Pessoal)
Reforma da Casa Lar foi concluída em 2011 e passou a abrigar crianças em situação de risco (Foto: Maurício dos Santos/Arquivo Pessoal)

“Eu expliquei que não era possível, que havia várias regras que precisavam ser respeitadas, então, ela sugeriu que eu comprasse a casa de uma vizinha que estava viajando para abrigar as crianças”, contou Maurício Aurélio dos Santos, pai da menina e presidente da Casa Lar.

Na mesma semana, por coincidência, a vizinha ofereceu a casa a Maurício. Com a filha, ele foi ao banco para resolver questões de rotina e descobriu que poderia obter um empréstimo para comprar a residência. Em janeiro do ano seguinte, ele reuniu 14 amigos para fundar uma ONG, resolver questões legais e começar a reforma do imóvel.

Casa Lar foi reformada por voluntários (Foto: Maurício dos Santos/Arquivo Pessoal)
Casa Lar foi reformada por voluntários (Foto: Maurício dos Santos/Arquivo Pessoal)

“Dezoito meses depois, em agosto de 2011, com a reforma concluída, o Lar recebeu os primeiros três bebês recém-nascidos”, contou.

Atualmente com 17 anos, Marcella trabalha como voluntária na Casa Lar, no momento com 11 crianças de 0 a 5 anos em situação de risco. Ela participa ainda do projeto Peixinho Feliz, em que leva as crianças para natação. Essa experiência influenciou até na escolha do curso de graduação.

Casa Lar recebeu os primeiros três bebês em 2011 (Foto: Maurício dos Santos/Arquivo Pessoal)
Casa Lar recebeu os primeiros três bebês em 2011 (Foto: Maurício dos Santos/Arquivo Pessoal)

“O curso de direito pode ajudar a entender o processo de adoção e acolhimento das crianças. O que mais me gratifica nisso tudo é ver a alegria delas brincando. Com a Casa Lar, tive uma infância muito especial”, contou.

Isadora ficou conhecida pelo 'Diário de Classe' (Foto: Reprodução/RBS TV)
Isadora ficou conhecida pelo ‘Diário de Classe’ (Foto: Reprodução/RBS TV)

Em 2012, a estudante Isadora Faber, de 13 anos, criou a comunidade virtual no Facebook ‘Diário de Classe’, em que relatava carências estruturais da escola que frequentava em Florianópolis. Ela chegou a entrar para a lista dos 25 brasileiros de destaque do jornal inglês Financial Times. Em 2014, já no ensino médio, ela publicou o livro “Diário de Classe: A Verdade”.

Por Juliana Gomes

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.