Embarque cruel de animais no Porto de Santos (SP) gera protestos e ações judiciais

Embarque cruel de animais no Porto de Santos (SP) gera protestos e ações judiciais

As imagens são impressionantes. Os animais são trazidos em carretas do sul do Brasil. Chegam ao Porto de Santos depois de vários dias de viagens que são interrompidas. Dentro das carretas há fezes para todos os lados. Alguns bovinos caem desfalecidos, provavelmente com as patas quebradas e ficam por ali mesmo, envolvidos em toda a sujeira.

Quando chega a hora de ir para o navio, na verdade uma enorme Arca de Noé moderna, com vários gradis, eles são encaminhados com picanas elétricas e barras pontiagudas. Lá dentro os aguardam mais alguns dias, as vezes semanas de viagem.

O navio Ocean Shearer, cargueiro de gado

Ao chegarem ao destino, na Turquia, país de maioria muçulmana, são mortos com métodos religiosos que envolvem rezas e uma degola com facão afiado, enquanto são entoados cânticos.

O embarque com cargas vivas não acontecia há vinte anos no Porto de Santos. Ambientalistas que estiveram no local filmaram o que puderam. As poucas imagens captadas foram suficientes para causar indignação em vários setores. Um outro embarque está marcado para o próximo dia 20 de janeiro, também para a Turquia.

Aproximadamente 20 mil animais originários de várias localidades do Brasil, virão ao porto, transportados em caminhões por trajetos que passam de 500 km até chegarem ao navio “NADA”, apelidado de “Grande Fazenda”. Após o embarque, os bovinos passarão semanas em alto mar rumo ao seu destino final.

Manifestação

Por conta deste novo embarque, será realizado, no mesmo 20 de janeiro, uma manifestação no entorno do Porto de Santos, com a presença de vários grupos de defesa dos animais, cidadãos de Santos e outras cidades do estado de São Paulo.

O objetivo é chamar a atenção da sociedade civil e do poder público quanto a possíveis práticas irregulares dessa operação e condições a que os animais são submetidos até mesmo antes da viagem marítima.

Ofício do porto

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP) emitiu um documento na tarde desta quinta-feira (11) no qual afirma que o Porto de Santos suspenderá o embarque de animais vivos. Contudo, as entidades de defesa animal consideram o documento “vago” e sem uma definição a partir de que data as operações serão de fato suspensas.

Além disso, outro fator que leva os ambientalistas a desconfiarem do ofício é que o navio NADA está a caminho do Porto de Santos, segundo rastreio do website marinetraffic.com.
Com isso, as entidades emitiram diversos comunicados mantendo o ato e todas medidas judiciais previamente planejadas até terem certeza jurídica do cancelamento do embarque.

Ações judiciais

Pelo menos três entidades de proteção animal estão preparando ações judiciais com o intuito de barrar este 2º embarque e os próximos programados ainda para este ano. Legislação ambiental, sanitária e, principalmente, as que versam sobre os maus tratos animais, serão usadas pelos ativistas na tentativa de convencer o judiciário sobre a inviabilidade desta operação.

Os grupos de defesa animal, organizadores da manifestação, reiteram que trata-se de ato pacífico e convidam a todos que se preocupam com o bem estar dos animais a comparecerem ao protesto marcado para o dia 20/01, às 14h, tendo como ponto de encontro a Praça dos Andradas, no centro de Santos.

Para mais informações, acesse evento no Facebook: “Grande manifestação contra o embarque de bovinos no Porto de Santos”.

Por Julinho Bittencourt

Fonte: Revista Forum


Nota do Olhar Animal: Como já destacamos em notas anteriores sobre medidas de bem-estar animal, o transporte dos animais ainda vivos é um terrível agravante no ciclo de produção de carne, já que impõe grande sofrimento aos animais. Mas a ação mais danosa é, claro, o abate em si, independentemente de como o animal foi tratado antes de ser morto. Nada é mais grave do que a violação deste direito moral fundamental dos seres sencientes.

Sobre as notícias de suspensão dos embarques de animais no Porto de Santos, a ONG Veddas nos informou que eles NÃO FORAM SUSPENSOS pela Codesp, que em ofício indicou apenas sua INTENÇÃO de parar com os embarques, mas sem data para a medida se consumar. A ONG pede que os ativistas mantenham a mobilização tanto presencialmente quanto pelas redes sociais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.