Empresário é preso suspeito de matar cachorro por enforcamento e paulada em Macapá, AP

Homem foi liberado após assinar um termo circunstanciado. Caso ocorreu nesta segunda-feira (27), no bairro Central, em Macapá.

2655
Empresário é preso suspeito de matar cachorro por enforcamento e paulada em Macapá, AP
Cachorro foi encontrado dentro de um saco em um terredo ao lado da casa do suspeito (Foto: Divulgação/Dema)

A delegacia de Meio Ambiente do Amapá (Dema) encontrou, nesta segunda-feira (27), um cachorro morto com sinais de enforcamento e marcas de pauladas, em um terreno baldio localizado na Avenida Pedro Baião, no bairro Central de Macapá. Um empresário de 35 anos é suspeito na morte do animal. Ele foi preso, e solto em seguida após assinar um termo circunstanciado.

A polícia recebeu a denúncia sobre o caso através da ONG Anjos Protetores, que atua em causas pelos animais. De acordo com a presidente da entidade, Laudenice Monteiro, o cachorro apresentava ter de dois a três meses de vida. O grupo ficou responsável pelo enterro do animal.

Segundo Laudenice, o cão teria matado um pinto do criadouro de galinhas da família do empresário, o que teria motivado o crime. A versão não foi confirmada pela polícia.
“Eu recebi a denúncia de que um homem teria matado um cachorro enforcado e, em seguida, teria dado uma paulada. Como a situação ocorreu próximo de onde trabalho, eu fui averiguar. Quando cheguei lá, contei que sabia sobre o ocorrido e me impediram de entrar na casa. Então chamei a polícia”, disse.

Delegado, Sávio Pinto, realizou buscas na casa do suspeito, mas encontrou o animal morto em terreno ao lado (Foto: Jorge Abreu/G1)

Segundo o delegado Sávio Pinto, foram feitas buscas no interior da residência onde o suspeito mora com a família. O cão, informou, foi encontrado dentro de um saco, jogado no terreno ao lado da casa.

“Recebemos a informação de que um cidadão teria matado um animal em sua casa. O motivo ainda não foi confirmado. Quando chegamos com o homem, ele negou. Fizemos buscas no interior da casa dele, não encontramos nada, mas quando subimos no muro, conseguimos visualizar uma sacola num terreno baldio ao lado. Nesta sacola, estava o cachorro morto”, disse.

Por Jorge Abreu 

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.