Projeto debatido hoje criminaliza a exposição de animais silvestres. (Foto: Will Shutter/Câmara dos Deputados)

Entidades defendem existência de zoológicos e aquários para a preservação de animais silvestres

Convidados de audiência pública defenderam, nesta terça-feira (19), o trabalho de zoológicos e aquários. Eles participaram de debate promovido pela Comissão de Meio Ambiente da Câmara sobre o projeto de lei 6432/16, que proíbe a exposição de animais em zoológicos, aquários e parques.

O representante do Ministério do Meio Ambiente, Ugo Vercillo, defendeu a melhoria dos zoológicos, mas salientou a importância dessas instituições para a preservação de várias espécies silvestres.

“É importante a gente trabalhar no processo de melhoria, de evolução dos zoológicos, onde sua função na conservação é maior do que simplesmente o mero repositório de animais. Então, ao invés de a gente buscar a proibição, a gente tem que buscar a melhoria do processo para a atuação dos zoológicos.”

Auditoria

O presidente da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil, Cláudio Hermes, também destacou as funções dessas instituições, de preservar, educar e pesquisar, e que por isso elas devem ser mantidas.

Cláudio Hermes informou que a entidade, que reúne 47 zoológicos e aquários em todo o país, está realizando uma auditoria para conceder um certificado de qualidade para as boas práticas no cuidado com os animais.

“A associação tem uma norma que tem um embasamento internacional, em parceria com ONGs sérias que fazem esse processo em todo o mundo. Todos os zoológicos do país estão sendo auditados. A gente pretende concluir as auditorias até 2021 e até 2023 a gente somente vai ter instituições auditadas e certificadas”, afirmou.

Opiniões divididas

A proposta debatida, que pode incluir essa prática na lei de crimes ambientais, tem o apoio do deputado Ricardo Tripoli (PV-SP). Para ele, é inadmissível, sob qualquer desculpa, que um animal passe sua existência preso.

“Não é possível, num país onde não tem prisão perpétua, você manter prisão perpétua para os animas em jaulas, em gaiolas de pequena dimensão. Animais que vivem soltos na natureza”, aponta o deputado.

Já para o deputado Valdir Colatto (MDB-SC), a preservação das espécies passa necessariamente pelos zoológicos.

“Os zoológicos, além de mostrar para a sociedade os animais que, às vezes, não existem mais, para que as crianças possam conhecer, abrigam os que sofrem acidentes, que são contrabandeados. Enfim, tem toda essa proteção e esse trabalho que não é só ter o animal para mostrar.”

A Presidente da Associação Paulista de Zoológicos e Aquários, Mara Marques, acredita que a deveria haver uma preocupação maior em coibir o tráfico de animais silvestres que são abrigados pelos zoológicos. Muitos, depois de libertados nas áreas de conservação, voltam a ser capturados por traficantes.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:
PL-6432/2016

Por Karla Alessandra / Edição de Ana Chalub

Fonte: Agência Câmara Notícias


Nota do Olhar Animal: Realizada na “calada da Copa”, esta audiência contou predominantemente com entidades ligadas aos zoológicos e aquários, SEM A PRESENÇA DE ORGANIZAÇÕES DE DEFESA DOS ANIMAIS. Além dos representantes das instituições ligadas à exploração animal, o evento teve a participação de órgãos governamentais e de deputados, inclusive a de Valdir Colatto, autor do NEFASTO projeto de lei que libera a caça no Brasil que, claro, se pronunciou em defesa dos que mantém os animais encarcerados para exibição ao público.

Leia também

Meio Ambiente debate proibição de zoológicos e aquários no Brasil

A verdade chocante sobre o que acontece com os animais ‘excedentes’ nos zoológicos

10 motivos para não visitar o novo Aquário de São Paulo

Zoológicos

Saiba os 5 motivos que fazem do zoológico um ambiente de tortura

Zoos x Santuários

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.