Ursa Marsha. (Foto: Semar)

Entidades e Governo se reúnem e discutem transferência da ursa Marsha

A vice-governadora Margarete Coelho esteve reunida, nesta terça-feira (5), com o representante da Confederação Brasileira de Proteção Animal (CBPA), Willian Tito para debater a situação da ursa Marsha que vive no Parque Estadual Zoobotânico, em Teresina, PI. A deputada federal Rejane Dias, representantes da Secretaria de Meio Ambiente (Semar), Ordem dos Advogados do Brasil seccional Piauí (OAB-PI), Ministério Público (MP-PI), IBAMA, Apipa e Procuradoria Geral do Estado também participaram da reunião.

Acompanhando de perto a situação do animal desde o ano passado e após a mobilização nas redes sociais, a vice-governadora Margarete Coelho foi designada pelo governador Wellington Dias para realizar as tratativas com os órgãos envolvidos.

“A nossa posição, nesse momento, é a de que fizemos o possível para que a ursa seja bem tratada e esteja feliz.  Nosso objetivo é o bem-estar da Marsha. Estamos fazendo o que podemos e agora recebemos a proposta da Confederação de Proteção dos Animais para transferí-la a um local mais adequado. Temos as nossas solicitações para que isso ocorra e, perante o consentimento de todos os órgãos, a transferência será realizada. Queremos o que for melhor para o animal”, concluiu.

A Confederação Brasileira de Proteção Animal pede a transferência do animal para a Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos (ASERG), entidade sem fins lucrativos que prima pelo bem-estar da fauna silvestre, exótica, nativa, doméstica e domesticada. O rancho fica localizado na cidade de Joanópolis, São Paulo.

Representando o Ministério Público, a coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente (CAOMA) e promotora de Justiça, Denise Costa Aguiar revela que o debate técnico é que vai viabilizar ou não a transferência do animal. “A reunião foi muito proveitosa. O mais importante é que haja um debate técnico que acompanhe a decisão de deslocamento da ursa. Segundo a Confederação, eles têm um especialista em urso e a gente aguarda que a equipe técnica deles, junto à nossa do Piauí, acompanhe essa nova análise por segurança”, pontua.

Em outubro de 2017, após discussões sobre a permanência da ursa no estado, o Conselho Regional de Medicina Veterinária emitiu um parecer técnico pontuando que o deslocamento era arriscado para a integridade física do animal devido a idade.

De acordo com Willian Tito, as entidades estão felizes com esse diálogo e a transferência da ursa será com total segurança e sem ônus para o Estado. “Nós estamos muito felizes com o aceno positivo do Governo do Estado que se transformou agora num compromisso. Estamos protocolando os encaminhamentos para que a Marsha seja transferida com a total e absoluta segurança, pensando no bem-estar dela”, explicou.

“A OAB apoia qualquer movimento que visa o bem-estar dos animais, no caso, da ursa Marsha. A reunião foi oportuna na medida em que possibilitou o consenso entre o Governo do Estado do Piauí e a Confederação Brasileira de Defesa Animal para que seja comprovado, por meio de laudos técnicos, que o novo ambiente tenha condições vitais mais adequadas que as atuais, para que então a transferência ocorra”, afirmou o advogado e presidente da Comissão de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da OAB-PI, Daniel Alves.

Os próximos passos para a concretização da transferência será a negociação com a aviação dos Correios, visita dos órgãos do Piauí ao Santuário Rancho dos Gnomos, em São Paulo e a vinda da equipe técnica da Confederação para providenciar os laudos.

Histórico

A ursa Marsha chegou ao Zoobotânico de Teresina em setembro de 2011, resgatada do Circo d’Itália, que estava no Pará, em agosto daquele ano; e onde vivia em uma jaula de apenas dois metros quadrados. Atualmente, ela vive no maior recinto para abrigar ursos no Brasil. São 450 metros quadrados de espaço arborizado, área de cambeamento (local onde o animal é confinado de forma segura), duas maternidades, duas piscinas e aspersores de água para amenizar o calor, especialmente no período mais quente do ano, entre setembro e dezembro. A ursa é alimentada com cerca de 15 kg de alimentos, que conta com carne de frango, frutas legumes e verduras, complementação protéica, por meio de ração. Marsha, que tem 26 anos, passou duas décadas rodando o país com o circo, em uma jaula pequena.

Fonte: Portal AZ


Nota do Olhar Animal: São muitos políticos querendo capitalizar em cima da dramática situação da ursa Marsha. É uma vergonha a demora para se resolver esta situação. A abordagem deveria ter ficado restrita à questão técnica e protetiva. Mas, para não variar, surgem políticos atrapalhando e aumentando os riscos para a Marsha. Só merecem repúdio.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.