Espanha: governo das Ilhas Canárias autorizará a morte de qualquer animal que viva em liberdade

Espanha: governo das Ilhas Canárias autorizará a morte de qualquer animal que viva em liberdade

O governo das Canárias culpa os animais por danos ambientais, mas autoriza os caçadores a intervirem na natureza para matá-los e contaminar com chumbo.

O Ministério de Política Territorial do Governo das Ilhas Canárias pretende conceder a consideração de espécies de caça a animais que voltaram a ser selvagens e vivem em liberdade no território há anos. Isso permitiria que os caçadores matassem cabras e ovelhas, originalmente destinados ao gado, se fossem livres. Essa decisão motivou a rejeição retumbante dos grupos de proteção animal devido ao desprezo do governo das Canárias em relação à sensibilidade desses animais e seu apoio evidente à comunidade de caçadores, apesar de sua péssima aceitação social. Se este projeto for aprovado, os milhares de animais que, segundo o Governo, conseguiram viver num estado de liberdade no arquipélago, poderão ser legalmente abatidos como grandes animais, porque estão incluídos no catálogo de espécies invasoras.

O PACMA apresentou denúncias contra essa iniciativa, bem como uma série de alternativas razoáveis ​​e éticas para os animais, o meio ambiente e as pessoas. Todas essas medidas estão incluídas na Lei Zero, a mais avançada da Europa em termos de proteção animal, apresentada há mais de um ano ao Congresso dos Deputados.

O Governo das Ilhas Canárias justifica este projeto ao explicar que estes animais são culpados pelo desmatamento, pela erosão da terra, por problemas de saúde, pelo deslocamento das espécies e competição por recursos, por perdas econômicas e patrimoniais e por perigo para a segurança do povo.

Defendemos que é justamente a caça desses animais que é um grave dano ao meio ambiente devido à contaminação com base nos restos de chumbo das armas e no risco de acidentes que poderiam causar a dispersão desses rebanhos ao fugir de seus agressores, podendo entrar em vias públicas, causarem pânico ou danos às pessoas.

É uma vergonha que nas Ilhas Canárias continue a haver um enorme problema de nepotismo entre os órgãos públicos e os grupos de caçadores, dos quais muitos membros dos partidos políticos presentes fazem parte. O governo deixa constantemente de lado a consideração da sensibilidade crescente pelos direitos dos animais e transforma as vítimas em animais que foram usados ​​e abandonados quando não são mais úteis.

No Partido Animalista exigimos técnicas e métodos de controle populacional que sejam éticos e respeitosos aos animais, como o controle da reprodução através da esterilização e o fornecimento de alimentos contraceptivos. Na Catalunha, essas medidas estão sendo implementadas para o controle demográfico de javalis, e se mostraram bem-sucedidas e tornam desnecessários métodos letais.  Além disso, o método GonaCon foi lançado, que é uma vacina experimental da Universidade Autónoma de Barcelona, ​​ a qual desencadeia uma resposta imune que conduz à produção de anticorpos que bloqueiam o hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH), necessário para todos os mamíferos para ativar as vias que estimulam o desenvolvimento do ovo ou o esperma. Vários estudos atualizados em mamíferos mostram que causa infertilidade.

Tradução de Thaís Perin Gasparindo

Fonte: PACMA

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.