Espanha: O antiespecismo se manifesta na Catalunha pelos direitos dos animais

Espanha: O antiespecismo se manifesta na Catalunha pelos direitos dos animais

A praça central de Catalunha, em Barcelona, ​​sediará a Marcha Antiespecista pelos direitos dos animais em 11 de agosto. Uma manifestação que visa reunir pessoas de toda a Espanha e que organizaram em conjunto com o Anonymous for the Voiceless, o Barcelona Animal Save, o Events4Animals e o DxE Barcelona.

Mas o que exatamente é especismo? Contra o que lutam os organizadores da manifestação? Cata Faria, filósofa Português e ativista pelos direitos dos animais, explica em detalhes: “O especismo é uma forma de discriminação injustificada que consiste em tratar pior aqueles que não pertencem a uma determinadas espécies”, conta a Tribus Ocultas.

“A forma mais difundida de especismo é aquela que é baseada no tratamento de todos os animais não humanos de maneira que nunca consideraríamos aceitáveis ​​se fossem seres humanos, mesmo que todos tenham interesse em viver, não sofrer e desfrutar de suas vidas “, acrescenta
Faria.

“Isso se manifesta, na prática, no sistema de exploração animal e na omissão de ajudar os animais que num dado momento precisam . Por exemplo, em alguma catástrofe natural, como geralmente acontece com incêndios ou inundações “.

“O antiespecismo é justamente uma postura ética e política que rejeita essa discriminação injustificada e luta pela igual consideração de todos aqueles que podem sofrer e desfrutar de suas vidas, sejam eles humanos ou não”, conclui.

Na prática, a implementação dessa posição ética e política nada mais é do que a recusa em consumir qualquer produto proveniente da exploração animal. Ou o que é o mesmo, veganismo. Não comer carne, peixe, ovos, leite ou mel. Não comprar roupas feitas de peles ou usar cosméticos testados em animais. Não financiar nenhum espetáculo onde haja sofrimento animal. Um modo de vida que, de acordo com os dados, não para de crescer.

“Temos uma sociedade cada vez mais sensível ao bem-estar animal, e isso pouco a pouco voi se transformando em maior interesse pelo veganismo”, diz Óscar L. Sánchez, da Events4Animals. ” As informações, hoje em dia, estão disponíveis para todos. Queremos transmitir que não é necessário continuar escravizando os animais não humanos para satisfazer nossos caprichos, e para isso é fundamental conceder-lhes direitos básicos “, afirma.

Liberação animal | Agências.

Como o resto dos convocadores, Óscar está convencido de que a marcha é uma oportunidade para “transmitir força” e “reivindicar a necessidade de avançar para um mundo de coexistência justa para todos”. As datas podem complicar o fluxo: “Na última manifestação em Madri, cerca de duas mil pessoas se reuniram”, conta. “Mas Barcelona não é uma cidade central, e também a temporada de verão é uma faca de dois gumes para as agendas dos funcionários.”

E é que, cada vez  mais e mais cidadãos rejeitam o abuso de animais, Óscar está ciente de que eles ainda são uma pequena minoria que dão o posso de removê-los de seu carrinho de compras. Mesmo que muitos olham para eles como estranhos insetos ou radicais perigosos. “Nós cortamos paredes grandes com formões pequenos”, lamenta.

“O ritmo da conscientização é muito mais lento do que desejaríamos e do que é necessário para destruir uma estrutura empresarial sistemática que existe às custas dos animais, tão forte e também reforçada também blindado.”

Como você convenceria qualquer um que estivesse lendo essas linhas da importância de sua luta? “Os outros animais também são seres sencientes. Eles têm a capacidade de sentir, de sofrer, de entender suas experiências como positivas ou negativas, e aprender com elas para repeti-las ou fugir delas, dependendo de terem gostado ou sofrido “, argumenta.

“Os animais foram e são o grupo mais oprimido, em número, e no momento não há data final. Matamos 3.000 animais por segundo, para nossos propósitos, desnecessariamente. Deixar de explorá-los só leva a coisas positivas; para eles por sua liberdade, para a saúde dos humanos e para freiar a destruição do planeta “, conclui.

@danicabezas1 | Madrid | Atualizado em el 09/08/2018 às 17h06

Por Dani Cabezas / Tradução de Thaís Perin Gasparindo

Fonte: Tribus Ocultas / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: O evento ocorreu há mais de um mês, mas entendemos que mesmo já tendo ocorrido é importante registrarmos sua realização.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.