Essas cadelas são forçadas a morrer por seus filhotes, somente para satisfazer a vaidade das pessoas

99134
Fotos: Change.org
Fotos: Change.org

Sabias que o número recomendado de vezes que uma cachorrinha pode dar à luz de forma saudável, de acordo com os veterinários, é de três vezes em nove anos? Contudo, isso é completamente ignorado por aqueles que querem lucrar utilizando os animais, independentemente do sofrimento que lhes causem.

Principalmente no comércio dos cães de raça. Por que sem se preocupar com a saúde dos cães, seus donos transformam as fêmeas em verdadeiras máquinas de reprodução, sofrendo assim com diversos problemas por conta da natureza agressiva do processo empregado.

Anemia, osteoporose, perda de dentes, alterações renais e hepáticas estão entre as consequências sofridas pelos animais que vivem dessa forma. Além do sofrimento físico causado pelos partos repetidos e incansáveis, as fêmeas também são forçadas a passar por procedimentos envolvendo equipamentos especiais que facilitam o parto (para o tutor) e ajudam a unir fêmeas e machos.

O pior é que muitas vezes não existe esperança de uma vida mais digna, já que nos primeiros sinais de fraqueza, velhice ou doença mais séria os animais são abandonadas na rua à própria sorte.

Trata-se de um negócio praticamente anônimo, onde dificilmente sabemos quem cria os animais, já que nas lojas vemos apenas os filhotes, bonitos e arrumados para a venda.

Ainda que existam regulamentações e leis que proíbam essa prática em diversos lugares do mundo, a fiscalização dessa prática em lugares privados é praticamente impossível no dia a dia.

Um dos grandes problemas encontrados por instituições e organizações interessadas é a falta de organizações estatais e públicas para onde possam levar os animais feridos e doentes por conta de práticas abusivas como essa.

Mas além disso, o mais importante para que essa prática seja interrompida é a criação da consciência nas pessoas de que a adoção pode ser o caminho mais bonito e saudável para os nossos amigos caninos.

Por Fernando Garcez

Fonte: Upsocl via Intrigante

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.