Esta tradição mata até 100.000 cães por ano na Espanha

Na Espanha, o fim da temporada de caça está perto, e enquanto o jogo espanhol possa estar respirando mais aliviado, os cães que ajudaram os caçadores a obter a sua caça são agora os que enfrentam uma morte horrível.

Em muitas partes da Espanha rural, galgos, a versão espanhola de um Greyhound, são usados para caçar lebres selvagens. Cada caçador compra de 10 a 70 cada um para durar o período da temporada de caça. Isso equivale a milhares de cães que estão sendo usados para o esporte. A cada ano, espera-se que estes galgos realizem a captura da lebre, trazendo orgulho e glória ao seu proprietário. Mas no final da temporada, os cães que não executam bem acabam abandonados ou mortos.

De acordo com estimativas, até 100.000 galgos são mortos a cada ano por seus donos. Os cães ou são abandonados para morrer de fome na floresta, atirados em poços, atingidos por tiro ou, mais tradicionalmente, enforcados.

“Bons cães” disfrutam da “honra” de ter uma corda jogada em torno de seu pescoço e serem içado do galho alto de uma árvore.

“Cães maus”, por outro lado, não recebem a mesma “cortesia”: seus proprietários escolhem geralmente um ramo de árvore que seja apenas alguns centímetros acima do chão, e o cão é amarrado então apenas alto o bastante para que seus pés não possam tocar o solo. O pobre cão luta incapaz de obter uma base e, finalmente, engasga até a morte. O espetáculo horrível de ver o cão tentando colocar seu pé no chão ainda tem um nome:  “tocar piano”.

Embora existam leis em vigor, que foram aprovadas recentemente, como em 2010, os cães ainda são mortos anualmente desta forma. De acordo com a National Geographic, a maioria dos cães não são microchipados, e aqueles que são, geralmente têm seus microchips retirados antes que sejam despachados por seus proprietários, tornando-os impossíveis de rastrear.

A raiz desta agressão desenfreada é o fato de a corrida da lebre, o esporte de usar galgos para caçar coelhos vivos, ainda ser legal na Espanha. Este esporte cruel não só envolve a tortura dos animais selvagens, mas também leva ao abate anual de cães de caça.

Enquanto a maioria dos países europeus têm proibido o esporte, a Espanha ainda tem de ceder, mesmo que reconheça a carnificina que provoca e a crueldade que os galgos enfrentam. Isso não está certo.

É tempo de a Espanha dizer chega e proibir este “esporte” cruel. É o primeiro passo para acabar com o massacre anual dos cães.

Se você quer ver o fim do massacre desses cães, por favor, assine esta petição.

Tradução de Fátima Cristina De Góes Maciel

Fonte: Care2 Team 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.