Ex-concessionária do canídromo de Macau paga mais de 2,7 milhões de euros por abandonar 532 galgos

Ex-concessionária do canídromo de Macau paga mais de 2,7 milhões de euros por abandonar 532 galgos

A Companhia de Corridas de Galgos de Macau (Yat Yuen) não apresentou um plano de realojamento dos cães de corrida, após o enceramento do canídromo no dia 12 de julho e foi multada de acordo com a Lei de Proteção dos Animais de Macau, informou o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) de Macau, em comunicado, na quarta-feira.

O caso dos galgos de Macau tem-se arrastado desde então e a Yat Yuen foi acusada de abandonar 532 cães pelas autoridades de Macau.

“O respetivo processo está concluído, o que determinou aplicar à Yat Yuen, por abandono de animais, uma multa de 50 mil patacas por cada galgo, sendo de mais de 25 milhões de patacas o valor total, e a Yat Yuen pagou a multa integralmente”, lê-se na mesma nota.

“A companhia deve continuar a pagar as despesas resultantes dos galgos, até ao mês de dezembro do ano passado, tendo já despendido mais de cinco milhões de patacas”, acrescentou o IAM.

Segundo o IAM, que confirma que se encontram atualmente 310 galgos nas instalações, de 15 de outubro até quarta-feira foram adotados 191 galgos, dos quais 180 foram enviados para os Estados Unidos, cinco para Itália e seis permaneceram em Macau.

“O IAM, tendo em conta o bem-estar dos animais, com o apoio da ANIMA, continua a procurar a adoção adequada dos galgos e tem a seu cargo os galgos que ainda se encontram no antigo canídromo, para serem cuidados temporariamente por pessoas adequadas”, sublinhou a entidade.

Fonte: RTP / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.