Falta de espaço para cães pode trazer problemas de comportamento, diz veterinário

Profissional alerta que os animais criados em ambiente de apartamento precisam realizar atividades ao ar livre.

311
Falta de espaço para cães pode trazer problemas de comportamento, diz veterinário
Guto brincando com seu brinquedo favorito em seu apartamento em Ipatinga (Foto: Arquivo Pessoal / Fernanda Reis )

Mimos como comprar petiscos, brinquedos, fazer carinhos e até deixar o pet dormir no sofá ou na cama, segundo o veterinário não são suficientes para substituir a falta de espaço que os animais precisam para não desenvolverem um distúrbio comportamental.
Criar um bicho de estimação dentro de um apartamento, principalmente os cachorros, requer alguns cuidados. O veterinário Emircio Araújo explicou que a falta de espaço dentro de casa pode ser compensada com passeios diários.

“Cachorros que vivem em apartamento exigem uma rotina de passeios muito mais intensa, uma vez que eles são prejudicados pela falta de espaço do local de onde moram. Para determinadas raças, como as de médio e grande porte, não são recomendáveis ambientes pequenos, porque eles se sentirão limitados”, disse.

O pug Guto, de um ano e cinco meses, é o exemplo de animalzinho que precisa de espaço. Segundo a assessora de negócios, Fernanda Reis, ela mora em um apartamento pequeno em Ipatinga e separou um local da casa para os brinquedos do cãozinho dela, e mesmo assim são necessários passeios diários com ele para garantir uma maior liberação de energia.

“Guto é bastante agitado e gosta de roer os móveis; ele fica solto pelo apartamento com os vários brinquedos que tem. Mesmo assim faço passeios com ele todos os dias: de manhã e ao final do dia. Às vezes faço pequenas corridas para ele que possa liberar energias, conta.

Fernanda diz que mesmo dispondo de diversos brinquedos e do livre acesso ao apartamento é perceptível para ela que Guto precisa diariamente de um local maior para brincar. “É necessário uma área livre, por pelo menos 20 minutos durante o dia, para ele não ficar estressado. Tomo sempre esse cuidado”, concluiu.

Fernanda coloca diversos brinquedos para Guto em um cômodo do apartamento (Foto: Arquivo Pessoal / Fernanda Reis )

Emircio diz que cães de pequeno porte são os que mais se adaptam aos pequenos espaços dos apartamentos. Apesar disso, o especialista garante que a criação do bicho influencia muito no processo de adaptação deles em qualquer ambiente.

“O carinho dos donos e uma rotina de atividades faz com que qualquer bicho se adapte a qualquer ambiente. Mas quando isso não ocorre eles acabam mudando o comportamento de uma forma brusca. Algumas atitudes devem ser consideradas como alerta para os donos de animais de estimação. Estranhar visitas, roer e destruir objetos, morder as pessoas, lamber algumas partes do corpo, principalmente as patas e passar boa parte do tempo deitado, pode ser um sinal de estresse’, concluiu.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.