Filhote de baleia foi encontrado na Praia do Matadeiro, no Sul da Ilha, em Florianópolis. (Foto: Associação R3 Animal/Divulgação)

Filhote de baleira-franca é encontrado morto na Praia do Matadeiro, em Florianópolis, SC

Um filhote de baleia-franca foi encontrado morto na Praia do Matadeiro, no Sul da Ilha, em Florianópolis. O animal era macho, tinha entre quatro e cinco metros de comprimento, e havia nascido nesta temporada, informou a Associação R3 Animal. Ele estava em estado de decomposição.

O filhote apareceu na noite de sábado (1º). Neste domingo (2), a área foi isolada pela R3 Animal e pelo Instituto Australis/Projeto Baleia Franca (PBF). Após necropsia, a baleia foi enterrada.

Conforme a associação, a ideia inicial era que o animal fosse rebocado para outra praia, com faixa maior de areia, mas isso não foi possível por falta de embarcação para ajudar no transporte.

Ainda segundo a R3, o corpo do animal tinha um hematoma na região torácica direita e esquerda que foi, possivelmente, provocada por uma colisão.

Área em praia no Sul da Ilha de Santa Catarina onde filhote de baleia foi encontrado morto precisou ser isolada. (Foto: Associação R3 Animal/Divulgação)
Área em praia no Sul da Ilha de Santa Catarina onde filhote de baleia foi encontrado morto precisou ser isolada. (Foto: Associação R3 Animal/Divulgação)

Além da R3 e da PBF, participou também da operação para enterro do filhote a Polícia Militar Ambiental, com apoio dos moradores.

Migração

Conforme o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), no inverno as baleias dessa espécie migram para águas tropicais mais quentes para acasalamento e procriação.

Na América do Sul, as principais áreas reprodutivas ficam na Península Valdés, Argentina, mas há uma pequena população no Sul do Brasil. Por essa razão, é comum ver mães e filhotes em praias de Santa Catarina nesta época do ano.

A recomendação para quem encontrar um mamífero, tartaruga ou ave marinha morta ou debilitada é ligar para 0800 642 3341.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.