Filhote de jaguatirica resgatado no Agreste de PE

Felino foi encontrado por moradores de uma comunidade quilombola em Águas Belas.

287
Fotos: Divulgação/CPRH
Fotos: Divulgação/CPRH

Um filhote de jaguatirica (Leopardus pardalis), com entre dois a três meses, é o mais novo animal silvestre a receber cuidados do Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). Ele chegou ao Cetas na noite da quarta-feira (24), dois dias após ser encontrado por moradores de uma comunidade quilombola do município de Águas Belas, no Agreste.

Fêmea, o filhote apresenta sinais de trauma na pata esquerda e ainda está sendo avaliado por veterinários do Cetas. Em Águas Belas, ele foi encontrado sozinho, como se estivesse perdido. Não se sabe se terminou se afastando da mãe ou se ela morreu, vítima de caçadores. Decididos a salvar o filhote, moradores procuraram a unidade de Garanhuns da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), que, por sua vez, informou à CPRH e ao Grupamento de Bombeiros.

No início da tarde da quarta (24), a pequena jaguatirica foi levada por integrantes do 6º GB (Grupamento de Bombeiros) de Águas Belas para a sede da Unidade Integrada de Gestão Ambiental (Uiga-Garanhuns), braço da CPRH, no Agreste. No mesmo dia, a equipe da Uiga levou o animal ao Cetas Tangara, no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, onde ficará até apresentar as condições ideais para a soltura – provavelmente na fase adulta.

Uma espécie de gato-do-mato, a jaguatirica é o terceiro maior felino presente na América, depois da onça-pintada e da onça-parda (suçuarana), podendo chegar a 1,35 metro e a pesar 16kg quando adulto. Já esteve na lista nacional de animais com risco de extinção.

Fonte: Destak Jornal

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.