Filhote de peixe-boi encalha duas vezes no litoral do Piauí e é resgatado

Filhote de peixe-boi encalha duas vezes no litoral do Piauí e é resgatado

Um filhote de peixe-boi marinho encalhou duas vezes na terça-feira (6) na praia do Coqueiro, em Luís Correia, litoral do Piauí. Na primeira vez, turistas tentaram levar o animal para perto dos pais, mas ele voltou para a areia e foi resgatado por biólogos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

VÍDEO: Pescadores e turistas devolvem peixe boi ao mar em Luís Correia

O chef de cozinha Fernando Araújo tentou a primeira reintrodução do animal ao seu habitat natural. “Vi a movimentação de turistas, troquei de roupa e entrei na água. Toda vez que a gente colocava na água, ele voltava, aí eu nadei cerca de 20 metros e deixei ele perto da mãe e do pai dele”, contou.

Turistas tentaram reintroduzir o peixe-boi na natureza. — Foto: Carlos Marins/Arquivo pessoal

Turistas tentaram reintroduzir o peixe-boi na natureza. — Foto: Carlos Marins/Arquivo pessoal
Segundo Heleno Francisco, coordenador da Base Peixe-Boi, localizada em Cajueiro da Praia, essa foi a ação mais correta. “É a atitude perfeita. Se ele não estiver doente ou machucado, o ideal é deixar ele perto dos pais, porque esse animal é amamentado até os dois anos”, explicou.


Filhote de peixe-boi voltou a encalhar no litoral piauiense. — Foto: Reprodução/ICMbio

Contudo, horas depois, o filhote voltou a encalhar. A situação não é comum, o que deixa os especialistas em alerta porque o animal pode estar doente. Devido ao encalhe recorrente, o filhote foi resgatado e passará por um processo de biometria.

“Vamos medir, pesar, coletar fezes, sangue, pele, será um processo laboratorial para obter dados sobre a saúde, saber por que ele está encalhando. Depois ele irá para um centro de recuperação, onde será amamentado em cativeiro até poder voltar ao habitat natural”, disse o coordenador.
 

Ameaçados de extinção

O último encalhe de peixe-boi no litoral piauiense aconteceu em julho deste ano, mas o animal já estava morto. Antes disso, o último caso havia sido registrado em 2012. A maior preocupação dos especialistas se dá porque o animal está ameaçado de extinção.

Animal chamou a atenção dos banhistas na Praia de Atalaia, no município de Luís Correia. — Foto: Instituto Tartarugas do Delta

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.