Foto: Pixabay

Finalmente! Mega fazenda de laticínios no Oregon perde licença devido à poluição em massa

Em uma grande vitória para o meio ambiente, a Lost Valley Farm, uma das maiores produtoras de laticínios do Oregon, teve recentemente sua autorização revogada pelos reguladores estaduais. O Departamento de Agricultura do Oregon (ODA) e o Departamento de Qualidade Ambiental (DEQ) tomaram a decisão de retirar a permissão da operação, tendo em vista as muitas violações graves e repetidas cometidas pela Lost Valley e seu proprietário, Greg te Velde.

Por exemplo, as agências descobriram que a instalação não manteve registros precisos e está mal equipada para lidar com a quantidade de resíduos gerados por seus rebanhos. Talvez o pior de tudo, a produtora de laticínios, de forma  consistente, tem deixado de cumprir os termos delineados em sua permissão de descarga de águas residuais, termos estes que são projetados para garantir que os resíduos sejam armazenados de forma a não comprometer a saúde humana e o meio ambiente. De acordo com a ODA, a Lost Valley violou as condições de sua permissão que dizem respeito ao armazenamento de lixo em pelo menos 32 ocasiões entre 28 de junho de 2017 e 9 de maio de 2018.

Como declarou a diretora da ODA, Alexis Taylor, “No último ano, usamos todas as ferramentas regulatórias disponíveis, inclusive penalidades civis, para obter conformidade. Acreditamos que o proprietário não esteja disposto ou não seja capaz de atender às condições de sua permissão que ajudem a proteger a saúde humana e o meio ambiente”.

De fato, a gigante dos laticínios não parece se importar nem um pouco com as maneiras pelas quais suas violações repetidas ameaçaram a saúde dos residentes próximos, assim como do planeta. Felizmente, os reguladores estaduais do Oregon agiram para acabar com a loucura. Agora, a Lost Valley tem 60 dias para interromper suas operações, realocar todos os seus animais e limpar todos os seus sistemas de resíduos.

Infelizmente, os problemas com a Lost Valley estão longe de ser exclusivos desta operação. A produção de laticínios como um todo, mesmo quando feita de acordo com os regulamentos, requer um enorme volume de água e cria uma imensa quantidade de lixo poluidor do meio ambiente. Estima-se que, no mundo todo, os animais de criação produzam cerca de 130 vezes mais resíduos do que toda a população humana. Além disso, a cada dia, são necessários cerca de 568 litros de água por vaca para manter os animais hidratados, equipamento de abate limpo e lavar os excrementos dos pisos das fazendas industriais.

Para onde vai toda essa água uma vez que é usada para esses propósitos? Bem, como está cheia de hormônios, bactérias, resíduos de animais e outros componentes desagradáveis, não pode voltar para o sistema de tratamento de água. Em vez disso, é colocada em enormes lagoas a céu aberto, que muitas vezes vazam para o lençol freático próximo, o que polui o suprimento de água potável para as comunidades locais, apesar das precauções tomadas.

Se você quiser se informar mais sobre os riscos devastadores à saúde humana e as preocupações ambientais relacionadas à produção de laticínios, além de descobrir como você pode ajudar a promover mudanças, confira o livro #EatForThePlanet. Ao fazer algumas pequenas mudanças em sua dieta, você pode causar um impacto extremamente positivo na saúde do planeta e no sua própria!

Por Estelle Rayburn / Tradução de Leonardo Lobo da Luz

Fonte: One Green Planet


Nota do Olhar Animal: Além de vitimar os animais explorados para a produção de leite, a poluição gerada pelas fazendas afeta o ambiente e, portanto, atinge outros animais não humanos, em especial os silvestres. Consumir leite e subprodutos é financiar esta cadeia de impactos danosos para os animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.