Cachorro resgatado de fossa se reencontra com os tutores em Campo Grande (MS) no dia seguinte (Foto: Reprodução/TV Morena)

Funcionária do CCZ tenta cobrar multa 10 vezes maior de tutor de cão resgatado em MS para devolver animal

Uma semana depois de ter o cachorro de estimação resgatado de uma fossa desativada no bairro Tijuca, em Campo Grande, o tutor do “Pernudo” levou outro susto quando foi pegá-lo no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Uma funcionária que não sabia que estava sendo gravada queria cobrar 10 vezes o valor da multa habitual para devolver o animal ao tutor. A justificativa era de que o cãozinho havia mordido um dos bombeiros que trabalhou no resgate no último dia 29 de dezembro.

“Agora quando o cachorro escapa e morde na rua é dez vezes o valor da multa”, disse a funcionária.

VÍDEO: Tutor de cachorrinho que caiu em bueiro fica surpreso ao buscar animal no CCZ

A coordenadora do CCZ Iara Helena Domingos disse que não tinha autorização para falar e orientou a reportagem a procurar a assessoria de comunicação da prefeitura de Campo Grande.

O microempresário Diogo Vieira ainda questionou sobre a eutanásia. “Mas porque se eu não pago esse valor de trezentos e pouco, mandam o cachorro para eutanásia?”, perguntou o tutor do Pernudo.

A atendente disse que o centro não poderia doar um animal agressor e, por isso, teria de ir para eutanásia. Mas depois de um tempo, voltou atrás e disse que só pagaria o valor da multa e do chip que seria colocado no animal.

“Se não fosse utilizado esse recurso da bombinha, você teria que ter pago esse valor de dez vezes. Como foi utilizado, ela vai abrir mão e você só vai pagar taxa normal. Quinze reais de um microchip que a gente vai colocar nele, vai ser microchipado. Isso é lei, tá? Acho que dá 33, 37 no máximo de multa por ele ter tido acesso à via pública”, disse a atendente.

As bombinhas que a funcionária se referiu foram as usadas pelo Corpo de Bombeiros como última tentativa para que o animal se aproximasse da entrada da tubulação e pudesse ser resgatado. Caso não fosse possível, seria utilizada uma retroescavadeira.

“Ontem a mulher falou que se eu não pagasse ia para eutanásia, aí hoje não vai mais. Segunda-feira tem de vir buscar ele”, disse Vieira aliviado. Carnudo está no CCZ desde o dia 29 quando foi resgatado.

Bombeiros resgatam cãozinho de bueiro em Campo Grande (MS) no dia 29 de dezembro de 2017 (Foto: Osvaldo Nóbrega/TV Morena)
Bombeiros resgatam cãozinho de bueiro em Campo Grande (MS) no dia 29 de dezembro de 2017 (Foto: Osvaldo Nóbrega/TV Morena)

Resgate

Os trabalhos começaram no dia 28, depois de um morador ouvir o latido e chamar o Corpo de Bombeiros quando passava próximo ao bueiro. Os militares tentaram retirar o animal e, como não conseguiram, foram embora, mas monitoraram a situação ao longo do dia.

No dia seguinte, os bombeiros voltaram ao local e conseguiram tirar o cãozinho do bueiro onde havia também animais mortos e lixo. Durante o resgate, o cachorro ficava de um lado para o outro na galeria. Quando retirado, estava acuado e mordeu um dos militares.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *