Gata com queimaduras é resgatada de acidente na BR-101 em Viana, ES

O animal teve quase 50% do corpo queimado. Veterinária e protetora buscam pelos verdadeiros donos ou algum familiar deles.

583
Gata com queimaduras é resgatada de acidente na BR-101 em Viana, ES (Fotos: Reprodução TV Gazeta)
Gata com queimaduras é resgatada de acidente na BR-101 em Viana, ES (Fotos: Reprodução TV Gazeta)

“No olhar dela, a gente via: ‘Por favor, me ajuda'”. Assim a médica veterinária Noely Godoi descreve o primeiro contato que teve com a gatinha resgatada na tragédia da BR-101, em Viana.

O acidente de grandes proporções envolveu nove veículos, deixou quatro mortos e cinco feridos na última quarta-feira (11). Em meio ao resgate das vítimas, estava o animal, que, segundo testemunhas, foi arremessado de um dos carros.

Dois dias após o acidente, a veterinária Noely e a protetora de animais Lívia Guimarães encontraram a gatinha na casa da idosa que acolheu o filhote após o acidente.

“Umas amigas descobriram quem era essa senhora e foram até lá. Mas ela não quis entregá-la. Falei com as minhas amigas que ia à casa dela, porque queimadura dói muito e a gatinha precisava de cuidados adequados”, explicou.

Às 8h desta sexta-feira (13), Lívia conta que já estava de prontidão em frente à casa da idosa. “Mas ela só chegou às 13h. A veterinária explicou que a gatinha estava sofrendo, fomos conversando, até que ela sentiu confiança e deixou a gente levá-la”, relata a protetora.

Segundo a veterinária, a intenção da idosa era boa, mas ela não tinha conhecimento para cuidar do animal da forma correta.

“É complicado cuidar de um felino machucado, mas ela permitiu total manipulação. A gente via o pedido de ajuda no olhar dela. A gente chora e se arrepia em um atendimento desses porque é uma vida”, diz.

A gatinha está com muitas queimaduras e, provavelmente, com uma luxação em uma das patas. “Por conta dos ferimentos, ela quase não está conseguindo andar. No exame clínico, constatamos que ela foi recentemente castrada, ainda tem uma cicatriz. Isso mostra que ela era bem cuidada. É muito carinhosa e quietinha. Fizemos um banho de camomila para tirar o resíduo e a fuligem do corpo dela”, afirma a médica, que recebeu um telefonema da Lívia no noite de quinta, perguntando quanto cobraria pelo atendimento. “Não iria cobrar”, comenta.

A boa notícia é que, de acordo com a veterinária, a gatinha não corre risco de morrer, mas é preciso esperar os próximos dias para ver como irá reagir ao tratamento.

“O exame de sangue já foi feito, ela está medicada e recebendo a alimentação e a hidratação corretas. Mas são queimaduras muito extensas, algumas de terceiro grau, o que prejudicaria o caso dela é uma infecção. Estamos cercando de toda forma possível.”

Depois dos primeiros socorros em uma clínica em Vila Velha, a gatinha que ganhou o nome de Fênix — por ter ressurgido das cinzas assim como o pássaro da mitologia grega — precisa fazer exames de imagem.

“Algumas pessoas ficaram de ajudar. São exames terceirizados, porque o resto foi doado pela veterinária. Devem custar, no máximo, uns R$ 500. Com esse valor conseguimos pagar os exames e a alimentação mais reforçada”, explica Lívia.

Para a Fênix se recuperar totalmente, a veterinária acredita que vai demorar uns 25 dias. Desse período, cinco ela deve ficar na clínica e o restante em um lar temporário. Mas a intenção da Noely e da Lívia é encontrar os verdadeiros donos ou algum familiar deles, caso tenham morrido no acidente. Vale lembrar que duas vítimas ainda não foram identificadas. Os corpos estão carbonizados e permanecem sem identificação.

“Nossa intenção não é ficar com ela, e sim recuperá-la, porque ela pode ter sido a única parte que ficou viva de alguém, a pontinha de amor que ficou da pessoa. Se não aparecer ninguém, já tem pessoas que querem ficar com ela. Como ninguém procurou, pode ser que ela seja de umas vítimas que não foram identificadas”, disse a veterinária Noely.

Quem tiver informações sobre os donos do animal, pode entrar em contato pelos telefones:

(27) 9 9971-2562 – Noely
(27) 9 9278-6771 – Lívia

Por Laila Mageski

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.