Condomínio Ville de Montagne: ocorrência foi registrada na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá). (Foto: Agência Brasília)

Gatos morrem com sinal de envenenamento no condomínio Ville de Montagne, em Brasília, DF

Dez gatos foram encontrados mortos por sua tutora, moradora do condomínio Ville de Montagne, nesta semana. Os animais aparentavam ter sido envenenados. De acordo com moradores, não é a primeira vez que esse tipo de crime acontece na área residencial. Nos últimos meses, outros bichos, incluindo cachorros e galinhas, também foram mortos.

Tutora dos gatos, a jornalista Catia Abreu encontrou um deles morto no último domingo (25/2). Na manhã desta quinta-feira (1/3), ela se deparou com outros nove  corpos no jardim em frente à sua casa. “Eles dormiam dentro da uma cozinha gourmet no jardim. Tinham coleiras de identificação e eram vacinados”, conta. Restaram apenas dois vivos.

“Eles não costumavam sair de casa. No máximo, às vezes, iam até a área de proteção ambiental que fica na frente da minha casa e voltavam”, acrescenta a jornalista. Ela afirma que tem uma boa relação com os vizinhos e que não desconfia de quem possa ter envenenados os bichos.

Os episódios têm sido recorrentes no condomínio. “Conversei com outros moradores e descobri que, na semana passada, quatro cachorros foram mortos da mesma forma”, acrescenta. Para ela, alguns animais silvestres, como quatis, também têm desaparecido do local.

Catia abriu uma ocorrência na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) e acionou organizações como o Greenpeace e a Associação Protetora dos Animais do DF (ProAnima). Ela espera que a associação do condomínio a ajude no caso. Uma perícia será feita ainda nesta tarde.

Crime ambiental

Conforme a Lei 9.605, de 1998, “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos” resulta em uma detenção de três meses a um ano, além de multa. Caso haja morte, a pena pode ser elevada de um sexto a um terço.

Por Deborah Novaes 

Fonte: Correio Braziliense 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.