Grife da alta-costura, Gucci deixa de usar pele de animal nas suas criações

A marca italiana de alta-costura alia-se a uma das mais fortes tendências do mundo da moda: a proibição de materiais de origem animal.

594
Foto: iStock
Foto: iStock

A partir de 2018, a Gucci não irá usar mais nas suas criações a pele de animal, anunciou o CEO Marco Bizzarri. A Gucci é agora um dos mais recentes membros da Fur Free Alliance.

Segundo a agência Reuters, a marca italiana de alta-costura cedeu à pressão de várias organizações de defesa ativa dos animais e assume-se, assim, como uma das mais recentes grandes marcas a aliar-se a uma das mais fortes tendências do mundo da moda: a proibição de materiais de origem animal.

Além do fim do uso do pelo, a Gucci vai ainda unir-se a campanhas em prol dos direitos animais e compromete-se a vender num leilão de caridade as roupas e acessórios anteriormente criados ainda com o uso do pelo de animal.

A marca está já procura de alternativas ao material de origem animal, pretendendo, ainda, mudar os hábitos de consumo dos clientes. A coleção para a primavera-verão do próximo ano não contará com este material.

A Gucci junta-se outros grandes nomes como Calvin Klein, Ralph Lauren, Tommy Hilfiger e Armani, que também já não usam materiais de origem animal nas suas criações.

A Gucci deu a novidade nas redes sociais, tendo sido vários os utilizadores a congratular a marca no Instagram.

Por Daniela Costa Teixeira

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.