Grupo denuncia sacrifício de animais no Centro de Zoonoses, em Goiânia, GO

Um grupo de protetores de animais e membros de Organizações Não Governamentais (ONG’s) protocolaram na manhã desta sexta-feira (6), uma denúncia que relata o sacrifício de animais saudáveis no Centro de Zoonoses de Goiânia. O documento apresentado à Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente (Dema) solicita também o afastamento da veterinária e gerente de controle populacional do órgão, Catarina Rates.

O grupo solicita no documento, que o Centro de Zoonoses apresente a relação discriminada e atualizada de todos os gatos e cachorros que passaram pelo órgão nos últimos quatro anos, bem como o destino que foi dado a cada um dos animais. Na denúncia consta que o órgão está eutanasiando animais enfermos e sacrificando animais saudáveis, como forma de controle populacional.

Lei Federal 13.426, de 2017, determina que o controle de natalidade de cães e gatos em todo o território nacional seja feito por meio de procedimento “ que garanta eficiência, segurança e bem-estar ao animal”. Uma das organizadoras do movimento, a protetora independente Leilamar Santana Leite, argumenta que, em uma entrevista no ano passado, Catarina admite que as eutanásias e sacrifícios estão sendo feitos. No entanto, o Mais Goiás não teve acesso a este relato.

Leila argumenta ainda, que mesmo em caso de animais com histórico de agressividade, a Lei Federal 17.767, de 2012, garante que os animais sejam reinseridos em um programa de adoção. “Quando há casos de agressividade ou suspeita de doença, o Centro de Zoonoses recolhe o animal mediante solicitação do dono. Ainda que o animal não esteja doente, se o dono não for buscar, dentro de 10 dias ele é morto”, argumenta.

O Mais Goiás procurou o titular da Dema, Luziano de Carvalho. O delegado relatou que não estava na delegacia no momento em que a denúncia foi protocolada, mas vai dar prosseguimento às investigações. Ele relata que denúncias semelhantes já foram feitas em relação ao Centro de Zoonoses e que à época, nenhuma irregularidade foi encontrada.

O grupo está organizando um abaixo-assinado  (que já possui 400 assinaturas) para o afastamento de Catarina. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que administra o Centro de Zoonoses, informou que vai se posicionar quando for oficialmente notificada pelas autoridades responsáveis.

Fonte: Mais Goiás

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.