Crédito: Divulgação

Guarda Ambiental de São Bernardo do Campo (SP) resgata 632 aves vítimas de maus-tratos

A Guarda Ambiental de São Bernardo, ligada à Guarda Civil Municipal (GCM), apreendeu nesta quarta-feira (10/10) um total de 632 aves domésticas, vítimas de maus-tratos, no bairro Baeta Neves. O resgate dos animais, que seriam posteriormente colocadas à venda, ocorreu após denúncia anônima. Cerca de 500 pássaros foram encontrados em condições precárias no interior de um caminhão estacionado na frente da residência do infrator, Avenir Xavier Junior, enquanto as demais aves eram mantidas em gaiolas dentro do imóvel.

A ocorrência foi registrada na Delegacia do Meio Ambiente (Dicma) de São Bernardo. O responsável pela infração foi preso por maus-tratos, abandono e comercialização irregular de animais, uma vez que não possuía documentos emitidos pela Vigilância Sanitária ou autorização alinhada às normativas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O crime ambiental foi enquadrado do decreto municipal 20.434/2018, que trata de infrações ambientais, sanções e procedimentos administrativos de fiscalização ambiental, com multa estipulada em R$ 2,5 milhões. As aves serão agora encaminhadas a locais adequados para seu desenvolvimento.

A perícia da Polícia Civil também apontou furto de energia elétrica na residência de Avenir. A Eletropaulo foi acionada para interrupção do fornecimento irregular no local. “Estamos atuando com firmeza para acabar com maus-tratos e o comércio ilegal de animais, que coloca em risco a fauna e a flora do município, cujo território é comporto em 50% por área de manancial. No passado, houve conivência com esse tipo de crime, que traz um prejuízo imensurável à nossa natureza”, destacou o prefeito Orlando Morando.

RESGATES

Este foi o segundo resgate de aves feito pela Guarda Ambiental de São Bernardo em pouco mais de um mês. No início de setembro, a Guarda flagrou um esquema de rinha de aves silvestres (canário da terra), no Jardim Detroit, efetuando a prisão de sete pessoas e aplicando multa no valor de R$ 374 mil. Os infratores também foram enquadrados por maus-tratos.

No ano passado, outra grande operação da guarda possibilitou o resgate de 41 aves silvestres no Jardim Calux. Entre os animais, havia dois papagaios, além de canários da terra, trinca-ferros, tizius, tico-ticos e coleirinhas, cujas posses devem ser autorizadas pelo Ibama. Ao lado das aves, foram encontrados cadernos com valores atribuídos a cada espécie, além de lista dos supostos compradores e de pagamentos efetuados e pendentes. O responsável pelo imóvel onde os animais foram descobertos, Francisco Aldir Costa de Oliveira, foi conduzido à Dicma, onde respondeu por posse ilegal de espécies nativas.

Fonte: ABC do ABC

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.