Gaiolas onde os animais estavam - Cortesia

Homem é detido após ser flagrado com pássaros silvestres, galos ‘de briga’ e jabutis

Um homem foi detido, durante a manhã desta quarta-feira (13), após ser flagrado com diversos pássaros silvestres, galos de briga e jabutis, na parte alta da cidade de Penedo, AL. A ação foi parte de uma operação integrada pela Polícia Civil em parceria com o 11º Batalhão de Polícia Militar do município.

De acordo com as informações policiais, após receberem mais um mandado de busca e apreensão expedido pela 4ª Vara Criminal de Penedo, os policiais se dirigiram até uma residência localizada no Loteamento Santa Luzia, Rua D, na Vila Matias e acabaram flagrando os animais citados acima dentro do imóvel.

Ainda segundo a PM, o proprietário da residência foi detido e encaminhado à Delegacia Regional de Penedo, local onde foi confeccionado um Termo Circunstancia de Ocorrência, por crime ambiental. O Instituto do Meio Ambiente foi acionado e prestou assistência à polícia em relação ao destino dos animas e aplicação das multas.

O que diz a lei?

De acordo com Art. 29 da Lei 9605/98 (Lei dos Crimes Ambientais) comete crime ambiental quem mata, persegue, caça, apanha ou utiliza de espécies da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, sem a devida permissão, autorização ou licença da autoridade competente, ou em desacordo com o documento obtido. A pena pode variar em detenção de seis meses a um ano e multa.

Incorrem também nas mesmas penas quem, por exemplo, impede na procriação da fauna, bem como, modifica, danifica ou destrói ninhos, abrigos e criatórios da vida natural; vende, expõe à venda, exporta, adquire, guarda, tem em cativeiro, depósito, utiliza ou transporta ovos. Caso a espécie silvestre não seja considerada ameaçada de extinção, o juiz poderá deixar de aplicar a pena de detenção, mas se for, ela poderá ser aumentada.

 

Fonte: Cada Minuto (com Aqui Acontece)

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *