Homem é preso por criar aves em cativeiro no Recanto das Emas, em Brasília, DF

Ele foi detido por uma equipe do Batalhão de Polícia Militar Ambiental na região. No local, foram encontrados cinco pássaros silvestres.

133
Na casa, haviam gaiolas e um alçapão, instrumento utilizado para a captura
Na casa, haviam gaiolas e um alçapão, instrumento utilizado para a captura

Um homem foi preso por crime contra a fauna por volta das 17h30 desta terça-feira (2/1). Ele acabou detido por uma equipe do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) na Quadra 205 do Recanto das Emas. O motivo foi a denúncia de que o suspeito criava animais silvestres ilegalmente.

No local, os policiais militares encontraram cinco pássaros da fauna brasileira. Além disso, na casa, haviam gaiolas e um alçapão, instrumento utilizado para a captura dos pássaros.

Até o fechamento desta reportagem, a PM não informou para qual local os animais seriam levados. Após a abordagem, o proprietário da residência foi encaminhado à 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) para prestar depoimento.

Operação do Ibram

Há três meses, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) criou uma força tarefa com objetivo de frear a criação desses animais. Na Operação Aves do Morro, à época, os fiscais percorreram regiões específicas de São Sebastião, cidade a pouco mais de 21 km do Plano Piloto. Entre os animais resgatados estavam canário-da-terra, galo de campina e periquitos.

A ação ocorreu em conjunto com a Polícia Civil — por meio da Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente e à Ordem Urbanística (Dema) —, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Polícia Ambiental Militar. Ao todo, 20 funcionários atuaram nas residências dos criadores.

Na ocasião, cerca de 40 aves foram resgatadas pela manhã. Além da forma irregular de criação, as equipes constataram infrações de maus-tratos. No fim do dia, o Ibram contou 131 apreensões.

Denuncie

Manter animal silvestre da fauna brasileira em cativeiro é considerado crime, de acordo com a Lei Federal nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, e o Decreto Federal nº 6.514, de 22 de julho de 2008. Além de possível prisão, o criador responde processo administrativo. Para quem quiser denunciar a prática, basta acionar a ouvidoria do Ibram pelo 162.

Por Mayara Subtil

Fonte: Correio Braziliense

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.