Homem é preso vendendo jiboia dentro de terminal de ônibus de Goiânia, GO

Segundo PM, cobra tem três meses de vida, e estava presa em uma pequena caixa; Detido já tinha passagem por crime ambiental, quando foi pego com quase 60 animais silvestres.

211
Jovem foi preso dentro do Terminal Praça da Bíblia, em Goiânia, Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Jovem foi preso dentro do Terminal Praça da Bíblia, em Goiânia, Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Um jovem de 20 anos foi preso, na terça-feira (8), no momento em que vendia uma jiboia dentro do Terminal Praça da Bíblia, em Goiânia. Segundo a Polícia Militar, a cobra tem três meses de vida e estava presa em uma pequena caixa. O detido já tinha passagem por crime ambiental, quando foi pego com quase 60 animais silvestres.

O caso ocorreu na noite de quarta-feira. Conforme a corporação, no celular do jovem foi encontrada uma conversa em que ele negociava a venda do animal e combinava de entregar a cobra no terminal de ônibus.

VÍDEO: Homem é preso vendendo cobra dentro de terminal de ônibus de Goiânia

Ele foi levado para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, onde foi autuado por tráfico de animais silvestres.

Cobra foi encontrada dentro da mochila do jovem, em Goiânia, Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Cobra foi encontrada dentro da mochila do jovem, em Goiânia, Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Reincidência

De acordo com a PM, esta é a segunda vez que o jovem é preso por crime ambiental. A primeira vez ocorreu no dia 7 de abril do ano passado, quando ele foi preso com 59 animais exóticos e silvestres, em Goiânia. Na época, ele foi localizado após uma denúncia. Conforme testemunhas, ele era visto chegando sempre com caixas que pareciam armazenar serpentes.

Na primeira vez em que foi preso, foram resgatadas nove jiboias, uma sucuri, nove jacarés, uma iguana, uma jararaca, duas cobras piton, 12 “corn snakes” e 24 lagartos. Todos eles foram levados, na época, para o Centro de Triagem de Animais Silvestre (Cetas).

Por Murillo Velasco

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.