Cachorro que recebeu golpes de terçados recebeu atendimento médico em uma clínica veterinária em Marabá, no sudeste do Pará (Foto: ONG Focinhos Carentes)

Homem mata cachorro a golpes de terçado em Marabá, PA

Um homem foi detido na última quinta-feira (7) por ter atacado um cachorro a golpes de terçado em Marabá, no sudeste do Pará. O acusado foi identificado como Erick Wauber Afonso dos Santos e foi enquadrado no artigo 32 de crime ambiental por de maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos, domesticados, nativos ou exóticos.

De acordo com a Polícia Civil, Erick disse em depoimento que atacou o animal porque ele teria comido dois preás que ele criava. O acusado pagou fiança de R$ 2 mil e responde em liberdade. Ele ainda responderá processo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Marabá, além de ter que pagar multa de R$ 3 mil.

O cachorro foi socorrido pela organização não governamental Focinhos Carentes, que cuida de animais abandonados e maltratados, e levado para uma clínica veterinária, onde recebeu atendimento, mas acabou morrendo.

Cachorro que recebeu golpes de terçados recebeu atendimento médico em uma clínica veterinária em Marabá, no sudeste do Pará (Foto: ONG Focinhos Carentes)

Maus-tratos em Marabá

De acordo com a presidente da ONG Focinhos Carentes, Fátima Mutran, Marabá registra alto índice de maus tratos de animais. Pelo abrigo da ONG já passaram mais de dois mil animais, entre cães e gatos, em dois anos de funcionamento do local. Para Fátima, o medo de denunciar um conhecido ou um vizinho por maus-tratos a um animal faz gerar essa onda de violência e impundade aos agressores.

“Em Marabá, as pessoas têm medo de denunciar o vizinho porque, vendo como ele é agressivo com o animal de estimação, a denunciante tem medo de que seja agredido pelo denunciado”, contou Fátima.

“Às vezes, as pessoas vêm aqui conosco, relatam o fato das agressões e envenenamento, mas quando pedimos que elas nos acompanhem à delegacia para serem testemunhas dos casos, os denunciantes têm medo da reação do vizinho e desistem de prestar a queixa à polícia”, completou.

Canil da ONG Focinhos Carentes em Marabá, no sudeste do Pará (Foto: ONG Focinhos Carentes)
Canil da ONG Focinhos Carentes em Marabá, no sudeste do Pará (Foto: ONG Focinhos Carentes)

O abrigo da ONG Focinho Carentes vive basicamente de doações. Segundo Fátima, quem quiser ajudar o espaço basta seguir e mandar mensagem no perfil da ONG no Facebook, ou ir a uma das clínicas veterinárias parceiras.

“Estamos abertos para receber doações. Pode ser em dinheiro, em depósito bancário, ou em doações diretas como materiais veterinários, para limpeza, ração e qualquer outra coisa que seja relacionada aos animais de estimação. Cada ajuda é muito importante”, concluiu.

Mais de dois mil animais já passaram pelo canil da ONG Focinhos Carentes em Marabá, no sudeste do Pará (Foto: ONG Focinhos Carentes)
Mais de dois mil animais já passaram pelo canil da ONG Focinhos Carentes em Marabá, no sudeste do Pará (Foto: ONG Focinhos Carentes)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.