Idoso carente que ajuda animais de rua ganha bicicleta e 100 kg de ração para alimentar 30 cães

1403
Bicicleta que irá facilitar o recolhimento de comida para os cães (Foto: Olhar Direto)
Bicicleta que irá facilitar o recolhimento de comida para os cães (Foto: Olhar Direto)

Após campanha iniciada nas redes sociais pela protetora e voluntária da causa animal Ananéri Cabral Cassol, um senhor carente de 62 anos que acolheu 30 cães de rua em sua residência, em Várzea Grande, em Mato Grosso, realizou um sonho na tarde desta terça-feira (22). Seu Antônio ganhou uma bicicleta que irá facilitar o recolhimento de comida para os cães. Ele, que apesar da situação de pobreza se dedica aos animais de rua, ainda recebeu a doação de 100 quilos de ração para ajudar na alimentação dos animais.

A história de Antônio repercutiu na semana passada após reportagem do Olhar Direto sobre a história. Desde então, muitas pessoas sensibilizadas com a causa, entraram em contato com Ananéri e contribuíram da forma que podiam.

A advogada Jovana Pontes foi uma  delas. Comovida, ela comprou uma bicicleta e realizou o sonho de Antônio. ”Eu vi a historia dele e fiquei muito sensibilizada por ver que mesmo faltando muita coisa, ele ajudava os animais”, conta.

“Depois que o Olhar Direto fez a matéria, muitas pessoas entraram em contato querendo ajudar. Conseguimos ganhar pouco mais de 100 kg de ração, também recebemos doação de alimentos e roupas”, explica Ananéri.

A voluntária já conseguiu uma parceria com duas clínicas que irão castrar e vacinar todos os animais machos, entretanto ela ainda encontra dificuldade no transporte. “Como são muitos animais, precisamos de ajuda voluntária para transportá-los. A ideia é levar três de cada vez”. Ela ainda explica que necessita de padrinhos e madrinhas para garantir que as fêmeas também sejam castradas. “O que conseguimos até agora daria para castrar apenas umas quatro e ainda precisamos comprar os medicamentos”, explica.

Ela ainda comemora que um voluntário irá doar as vacinas para todos os animais, mas veterinários solidários são bem vindos para garantir a correta aplicação.

A fundadora da Organização de Proteção Animal de Mato Grosso (OPA-MT) Michelle Scopel foi uma das pessoas que abraçaram a causa. “Eu vi a campanha e resolvi ajudar, pois unidas somos mais fortes. Conseguimos as castrações, mas, ainda precisamos de vacinas”.

A história com os animais

Seu Antônio é da cidade de Parnaíba, no estado do Piauí, mas há 30 anos reside em Várzea Grande. Ele se mudou para Mato Grosso na esperança de conseguir um bom emprego e ter uma vida melhor. Acabou deixando seis filhos no Piauí.

Há cerca de cinco anos transitando pela cidade ele se deparou com um cachorro de rua. Pegou o animal e trouxe de ônibus dentro de uma caixa de papelão para que o motorista não visse.

O número foi crescendo e a demanda de alimentos para eles também. Então, ele começou a ir até os restaurantes da região e até mesmo de Cuiabá pedir restos de comida. “Eu peço carona nos ônibus e vou aos restaurantes e lá eles me dão carne, sambiquira, cabeça de porco, pé de galinha. Eu pego tudo que eu posso e trago de carrinho”, conta.

Antônio ainda contou que ganhou o carrinho que carrega os alimentos durante as andanças em busca de comida. “Fiquei muito feliz e agradeci a Deus”, ressalta alegre.

Mesmo com uma grande quantidade de animais no local, todos são bem cuidados e não possuem pulgas nem carrapatos. “São todos muito bonitos, sem carrapatos, com pelos bonitos, bom peso. Ele contou pra mim que ele usa creolina na água para os cachorros não pegarem carrapatos”, conta Ananéri.

Condições insalubres

Seu Antônio divide os cômodos de sua casa com os cachorros. Eles percorrem pelos cômodos e até sobem nas prateleiras. O lugar tem condições insalubres. Lá não possui água encanada e nem energia elétrica. A água que ele usa para consumo próprio é retirada de um poço artesiano, onde vivem muitos sapos.

O lugar é rodeado de mato. Por conta disso ele já encontrou duas cobras na área destinada ao seu descanso, que é composto de uma espuma que fica pendurada durante o dia.

Mediante a situação de extrema vulnerabilidade social, as voluntárias ainda continuam na arrecadação de roupas e alimentos para auxiliar seu Antônio.

Michele conta que mesmo sendo de uma ONG animal, também busca ajuda para o idoso. “Também queremos ajuda para ele. Percebi que ele acaba se preocupando com os animais e não com ele. A situação dele é bem precária, não tendo nem onde dormir”, frisa.

Serviço:

Para ajudar, é necessário entrar em contato com Ananéri pelo telefone (65) 99286-0151, ir no ponto de coleta de doações que fica na travessa Governador Pedro Pedrossian, n° 69-A, na Peluxo Banho e Tosa em Várzea Grande, ou fazer depósito no Banco do Brasil, na C/C 32.355-1, Agência 2963-7, no nome de Alan Bruno C Cassol.

As doações ainda podem ser feitas à La Parma Pizzas, instalada na rua Gal Neves, 521, esquina com Tenente Alcides Duarte de Souza, no bairro Duque de Caxias, em Cuiabá. O  ponto de arrecadação funciona de quarta à segunda-feira, das 17h às 22h.

Quem puder ajudar pode entregar ainda as doações no Centro Espirita Irmã Carmelitana de Jesus, que fica na avenida Principal, número 97, bairro Jardim Ubirajara, Cuiabá-MT. O ponto de arrecadação funciona de segundas e terças, das 19h às 21h.

Por Fabiana Mendes

Fonte: Olhar Direto

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.