Idoso de 64 anos é acusado de matar cachorro a facadas em Anaurilândia, MS

Homem será autuado pela PMA; multa varia de R$ 500,00 a R$ 3.000,00.

240
Imagem: Ilustração / Reprodução / Internet
Imagem: Ilustração / Reprodução / Internet

Nesta segunda-feira (02), um caso de maus tratos contra animais foi registrado na Delegacia de Polícia Civil da cidade de Anaurilândia. Conforme a ocorrência, no último sábado (31), um idoso de 64 anos teria matado um cachorro a facadas.

A denúncia foi feita por uma mulher, que compareceu na Delegacia de Polícia informando ser dona do cão. Ela disse que no Sábado de Aleluia (31), foi até a casa do autor, que é seu genro, sendo que seu cachorro a seguiu até lá.

Na casa do autor, o cachorro, que atendia pelo nome de “Lobão” acabou por matar o papagaio do idoso, que resolveu se vingar. O homem então se apoderou de uma faca e chamou o cão para brincar.

No momento em que o animal se aproximou, o idoso começou a golpeá-lo com a arma branca por diversas vezes, causando a sua morte. O corpo do cachorro teria sido enterrado pelo homem no quintal de sua casa.

Passado o fim de semana, a dona do cachorro compareceu, nesta segunda-feira (02), na Delegacia de Polícia Civil para comunicar as autoridades. O caso foi registrado como maus tratos a animais.

Em contato com a Polícia Militar Ambiental (PMA) de Batayporã, o Nova News apurou que nesta terça-feira (03) o idoso receberá a visita de uma equipe de militares, que irá autuá-lo pelo fato de ter matado o cachorro. A multa para este tipo de crime ambiental varia de R$ 500,00 a R$ 3.000,00.

Denúncias

Em caso de maus tratos a animais ou outros crimes contra o meio-ambiente, a população de toda a região pode efetuar denúncias junto à PMA de Batayporã pelo telefone (67) 3443-1095 ou procurar qualquer força de segurança, como Polícia Militar, via 190, e Polícia Civil, na delegacia mais próxima.

A PMA lembra que é crime de maus tratos, não apenas perseguir, ferir ou matar animais, mas deixá-los em situação de abandono, sem água ou comida, sem os devidos tratamentos veterinários e em condições consideradas degradantes. Isso vale para animais de pequeno, médio ou grande porte e de todas as espécies.

Por Acácio Gomes 

Fonte: Nova News 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.