Inquérito vai apurar conduta de PM suspeito de matar cachorro em RR

Inquérito foi instaurado nesta quinta (23); cachorro foi morto na frente da tutora. Testemunhas serão ouvidas; tenente foi denunciado na Corregedoria da PM.

1417
Inquérito vai apurar conduta de PM suspeito de matar cachorro em RR
Sam foi morto com tiro na cabeça após se aproximar de tenente da PM (Foto: Sandra Brandão/Arquivo pessoal)

A delegada titular de Pacaraima, Simone Arruda, informou nesta quinta-feira (23) que instaurou inquérito para apurar a conduta do tenente da Polícia Militar suspeito de ter matado um cão da raça golden retriever com um tiro.

O caso ocorreu no fim da tarde de terça-feira (21) em Pacaraima, cidade no Norte. Segundo a tutora do cachorro, ela estava na frente da casa onde mora quando viu o cão ser baleado pelo policial.

Segundo a delegada, será investigado o disparo da arma de fogo e se houve crime ambiental por maus-tratos a animais. O cuidado da tutora com o animal também será apurado. O inquérito deve ser concluso em 30 dias.

“O inquérito vai fazer a apuração tanto da conduta do policial, que efetuou um disparo de arma de fogo, ver as circunstâncias em que ocorreu esse disparo, se realmente era necessário. Vai apurar também o comportamento da tutora do cachorro com relação ao cuidado que ela tem que ter com animal de grande porte”, disse a delegada.

Sam foi morto com tiro na cabeça após se aproximar de tenente da PM (Foto: Sandra Brandão/Arquivo pessoal)

Devem ser ouvidos na delegacia a tutora do animal, o tenente e, inicialmente, duas testemunhas.

Caso seja comprovado que a arma usada pelo tenente era da PM, a Polícia Civil vai enviar o procedimento para que a corregedoria da instituição também apure a conduta dele.

“O policial que tem uma arma institucional ou que tem uma arma particular, se ele dispara essa arma, existe um crime para isso, que é disparo de arma de fogo. Todo disparo tem que ter uma fundamentação legal para você efetuar”, explicou.

Tutora do cachorro denunciou tenente na Corregedoria

A assistente social Sandra Brandão, de 44 anos, tutora do animal, disse nesta quinta que formalizou denúncia contra o tenente na Corregedoria da PM em Boa Vista.

“Fiz a denúncia ontem [quarta]. Não posso deixar esse crime impune, estamos muito abalados e queremos justiça”, disse.

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social informou que a Corregedoria da Polícia Militar vai apurar as circunstâncias que envolveram o fato. “Conforme o resultado, medidas disciplinares poderão ser adotadas, com sanções cabíveis dentro do regimento militar”.

Entenda o caso

Na terça (21) o cachorro Sam, da raça golden retriever, foi morto com um tiro na cabeça por um tenente da Polícia Militar em Pacaraima, segundo afirma a tutora do animal, Sandra Brandão.

Ela conta que o cachorro aproveitou que o portão estava aberto, fugiu de casa e foi em direção ao PM, que estava fora de serviço, e saía da residência onde mora para passear com seu cachorro. Sandra disse que tentou evitar que o cão fugisse de casa.

Após o animal ser morto, Sandra e uma vizinha tentaram se aproximar do PM mas ele não permitiu que ninguém chegasse perto.

A Polícia Militar foi acionada para ir ao local, mas afirmou no Relatório de Ocorrência Policial (ROP) não ter localizado o tenente em casa.

A assistente também contesta a versão policiais militares que foram até a residência do tenente. Segundo ela, eles entraram na casa do PM e conversaram com ele.

Por Valéria Oliveira

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.