Intervenção alerta para maus-tratos a animais em Indaiatuba, SP

Intervenção alerta para maus-tratos a animais em Indaiatuba, SP

Próximo às barracas de artesanato e cosméticos da feira Magic Outono Veg, em Indaiatuba, uma surpresa na manhã deste último domingo: uma intervenção artística protestava contra o uso de animais em testes de laboratório da indústria da beleza. A iniciativa partiu do gestor ambiental Kayque Souza, que foi vegetariano por nove anos e agora é vegano. Ao lado de uma colega portando uma máscara mundialmente conhecida a partir do filme “V de Vingança”, ele abordava pessoas para denunciar o tratamento dispensado aos animais em testes de medicamentos e cosméticos, exibindo vídeos em um laptop.

Sabrina Schulz e o marido Alaur Rodrigues, organizadores da feira vegana em Indaiatuba.

A feira, que durou das 10h às 19h, contou com a presença de 48 expositores, tendo recebido um público estimado em 700 pessoas. Barracas de artesanato, flash tatoo, piercing, sorvete, gastronomia e cosméticos participaram do evento, que também contou com música, dança, yoga, brechós e palestras sobre veganismo.

Kayque atua como voluntário na ong Anonymous for the Voiceless, instituição que luta pelos direitos dos animais por meio de manifestações nas ruas. Ele afirmou que é de extrema importância conhecer a origem dos produtos, sejam cosméticos ou alimentícios, e saber que sempre há alternativas que não prejudicam os animais.

Gino: licor artesanal de limão siciliano é o mais vendido de todos os produtos do expositor.

O gestor ambiental disse que já trabalhou na indústria de laticínios, quando percebeu o quanto os animais sofrem, o que o levou a se tornar vegetariano. Segundo a organização internacional Peta (Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais), de 63 grandes marcas avaliadas em pesquisa, apenas nove não testam seus produtos em animais. Ele diz que a conscientização é essencial para que a indústria seja transformada, já que ela produz conforme as exigências do consumidor.

O evento também ofereceu comidas, que variaram de sanduíches e salgados a doces e bolos, permitindo que os participantes pudessem almoçar e jantar no local. Dentre os expositores estava Amanda Valente, que começou a fazer cookies sem glúten enquanto cursava nutrição. Seu interesse pelo veganismo fez com que criasse a marca de doces Casa Moscada, que produz cookies e brigadeiros com leite de coco totalmente caseiros e veganos.

Amanda Valente produz leite condensado de coco da fruta fresca e outros produtos caseiros. (fotos: Raquel Boareto)

O público presente na feira foi além dos veganos. Também estavam presentes os vegetarianos e os que não excluem a carne de sua alimentação. Luiz Schiano, que estava expondo sua marca de produtos artesanais, por exemplo, não é vegano. Gino, como também é conhecido, tem 66 anos e, apesar de não aderir à dieta, cria seus produtos para este público alvo. Há um ano e meio começou a Da Gino, empresa com legumes e licores à base de vinagre de vinho tinto e álcool de cereais, que agrada tanto ao público vegano quanto ao não vegano.

A feira disponibilizou copos ecológicos para as bebidas ali consumidas. Segundo Sabrina Schulz, uma das organizadoras, os plásticos que acabaram sendo utilizados (como garfos de aperitivo) serão reutilizados. O lixo reciclável será vendido e o orgânico irá para a compostagem. Também foram arrecadadas rações que serão doadas para instituições que cuidam de animais resgatados em maus tratos.

Edição de Elton Mateus / Orientação de prof. Carlos A. Zanotti

Fonte: Digitais PUC-Campinas

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.