Jacaré encontrado debaixo da Ponte do Bragueto, em Brasília, por funcionário que trabalhava no local — Foto: Arquivo pessoal

Jacaré resgatado às margens do Lago Paranoá, em Brasília (DF), morre após cirurgia para retirada de arame

O jacaré resgatado às margens do Lago Paranoá, em Brasília, morreu na manhã desta sexta-feira (19). O animal estava internado desde terça-feira (16) no Zoológico de Brasília, após ser encontrado por policias militares do Batalhão Ambiental debaixo da Ponte do Bragueto. O zoológico informa que irá fazer uma necropsia para identificar a causa da morte.

Jorge – como foi chamado pela equipe – passou por cirurgia no mesmo dia do resgate para retirada de um arame no estômago. O objeto tinha cerca de 50 centímetros.

Desde o procedimento, o jacaré estava sob o efeito da anestesia e era monitorado diariamente, mas, na manhã desta sexta-feira, os batimentos cardíacos não foram mais detectados.

Jacaré visto no Lago Paranoá, em Brasília, passa por cirurgia para retirada de anzol do estômago — Foto: Reprodução
Jacaré visto no Lago Paranoá, em Brasília, passa por cirurgia para retirada de anzol do estômago — Foto: Reprodução

Os veterinários explicam que era difícil saber a real condição do animal. Se era idoso, se sofria de alguma outra doença e há quanto tempo ele havia se alimentado. Essas condições podem ter influenciado a morte dele. Além disso, os profissionais contam que os répteis têm metabolismo lento, o que leva a uma recuperação mais demorada.

VÍDEO: Jacaré visto no Lago Paranoá passa por cirurgia para retirada de anzol do estômago

Foi o veterinário responsável pela cirurgia batizou o jacaré como Jorge. Ele contou à equipe que escolheu “Jorge” porque é sempre o nome de um personagem interessante em histórias bem humoradas.

Em nota, o Zoológico disse ainda que: “A história de Jorge nos mostra a importância de todos nós ficarmos atentos e tomarmos cuidado com o descarte adequado do lixo, a fim de manter a qualidade da água no Lago Paranoá e evitar que outros animais tenham sua saúde prejudicada pela ingestão do mesmo”.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.