Juiz determina transferência da ursa Marsha de Teresina para São Paulo

Para veterinários, transferência da ursa Marsha seria arriscada, devido à idade avançada do animal, que já tem 33 anos.

1021
Foto: Moura Alves/ O Dia
Foto: Moura Alves/ O Dia

O juiz Frederico Botelho de Barros Viana, da 4ª Vara Federal Cível do Distrito Federal, determinou, nesta segunda-feira (6), que a ursa Marsha do Zoobotânico de Teresina seja transferida para o Santuário Associação Mata Ciliar, no estado de São Paulo. A decisão, em caráter de urgência, foi tomada após o magistrado entender que a situação do animal era cruel, devido às altas temperaturas do estado.

No documento, o juiz afirma que, com base nos documentos apresentados na ação, “a situação da ursa Marsha é uma definição precisa de crueldade imposta pelos humanos. Se nós cidadãos fecharmos os olhos para estes fatos, não sei se somos mais evoluídos do que os animais que subjugamos”.

Comissão de veterinários atesta que ursa está em local adequado

Uma vistoria feita nas dependências da ursa Marsha, que vive no parque Zoobotânico, em Teresina, constatou que as condições do local são adequadas para o animal. O recinto da ursa foi avaliado por três veterinários, que concluíram que o animal encontra-se em condições satisfatórias .

O analista ambiental do Ibama e presidente da Comissão de Meio Ambiente do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), Fabiano Pessoa, foi um dos veterinários presentes na vistoria. Segundo ele, tecnicamente, não há maus tratos contra Marsha. “As condições do recinto são boas, atende a todos os critérios presentes na legislação. A denúncia de maus tratos é improcedente”, afirma.

Segundo veterinários do zoológico, Marsha chegou ao zoológico já com 26 anos de idade, e tem atualmente 33 anos, idade avançada para a animais da espécie. Ela chegou ao Zoobotânico com 26, resgatada de um circo onde vivera a maior parte da vida. Marsha apresenta um quadro crônico de problemas articulares na coluna. Segundo Fabiano, a perspectiva de vida de ursos desta espécie é de 35 anos.

“A idade e problemas de saúde, na coluna, limitam os deslocamentos dela. Aparentemente o animal não tem nenhum aspecto de lesão, ausência de pelo, e tem aspecto nutricional satisfatório”, disse Fabiano, acrescentando que a ração que Marsha come é adequada para animais onívoros como ela, e não é a única fonte de alimentação da ursa.

Clamor social

O caso de Marsha ganhou repercussão nacional através da internet. Visitantes do parque se emocionaram com o aspecto da ursa, compartilharam vídeos e até iniciaram uma petição online, pedindo assinaturas para que ela fosse retirada do Piauí por conta das altas temperaturas registradas no estado.

Para o veterinário, a possibilidade de transferir a ursa para um estado com clima mais ameno é arriscada. “Tem que se avaliar a prudência, a racionalidade de se arriscar a transferência. No momento atual, se definiu que é temeroso pensar em transferência”, disse Fabiano.

As informações foram divulgadas durante uma audiência promovida pela 24ª Promotoria de Justiça, no Ministério Público, com representantes da Secretaria de Meio Ambiente (Semar), Ibama e do Centro Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente (CAOMA).

Na reunião ficou acertado uma vistoria da equipe de Vigilância Sanitária do Estado para fiscalizar a cozinha do Parque Zoobotânico dentro de quinze dias. No mesmo prazo, a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos promoverá pequenos reparos na estrutura da cozinha. Para os reparos que necessite de processo licitatório, a SEMAR fará um o levantamento destes reparos e das obras, bem como cronograma de execução (licitação e execução), os quais deverão ser encaminhados ao Ministério Público em até 30 dias.

Por Andrê Nascimento

Fonte: Portal O Dia

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.