Lavrador é preso suspeito de ferir cadela com golpes de facão por se incomodar com barulho do latido, em Caldas Novas, GO

Lavrador é preso suspeito de ferir cadela com golpes de facão por se incomodar com barulho do latido, em Caldas Novas, GO

Uma cadela ficou gravemente ferida após ser atacada com golpes de facão, em Caldas Novas, região sul de Goiás. A vira-lata chamada Safira teve ao menos cinco lesões e, após ser atendida, precisou ter a orelha esquerda amputada. Segundo a Polícia Civil, um lavrador de 52 anos, vizinho da família tutora do animal, foi preso suspeito do crime. Em depoimento, ele alegou que praticou o ato porque o animal latia alto e fazia muito barulho.

Vídeo: Lavrador é preso suspeito de ferir cadela com facão por se incomodar com barulho do latido.

O caso aconteceu na madrugada de terça-feira (6). Segundo o delegado Tibério Martins, que registrou o caso, o homem estava embriagado quando feriu o bicho.

“Ele mora nos fundos da casa. Ele disse que a cachorra late muito e faz barulho. Aí falou que havia ido lá para dar ração para ela porque era maltratada, mas a cadela mordeu sua mão e só então ele a feriu. Porém, a versão não procede, pois ele não soube justificar o porquê levou o facão e não tinha nenhum machucado”, disse o delegado ao G1.

Ainda conforme Martins, após os golpes, a dona da casa ouviu o animal chorando, olhou pela janela, viu que se tratava do vizinho e acionou a Polícia Militar. O homem foi detido sujo de sangue nas imediações.

Levado à delegacia, ele assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por maus-tratos, que tem pena máxima de um ano, e foi liberado. O delegado disse que ele ainda não tem advogado.

Tristeza da família

A dona de casa Débora de Souza Duarte, dona da cadela, foi quem viu o crime. Emocionada, ela relembra os momentos de tristeza ao ver o animal ferido.

“Eu já fiquei assustada, ela já não latia mais, aguentou os golpes toda calada, todo tempo caladinha. Eu já vi a orelha e as costas dela rasgada”, diz chorando.

Após prestarem os primeiros socorros a Safira, a família pediu ajuda para uma ONG de proteção aos animais, que levou o bicho a uma clínica veterinária.

Safira chegou com quadro de hemorragia e precisou de uma transfusão. Porém, agora já se recupera e tem até previsão de alta, conforme o veterinário Eder Henrique Guerra.

“O estado de saúde dela é estável, está respondendo bem aos tratamentos. Possivelmente ela vai embora na sexta-feira (9) para continuar fazendo a medicação em casa. É uma guerreira, respondeu muito bem”, afirma.

Na casa onde Safira vive o clima é de expectativa por sua volta. Filha de Débora, a pequena Alannys de Souza, de apenas 10 anos, não segurou as lágrimas ao falar do bichinho de estimação.

“Ela é tudo que eu tenho, ela brinca com meus irmãos, brinca comigo, todo tempo nós tivemos juntas. Não quero perder minha cachorra”, lamentou.

Por Sílvio Túlio 

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.