Lei que proíbe queima de fogos perto de animais tem multa de até R$ 2 mil em Teresina, PI – Olhar Animal
Lei foi criada para proteger animais do barulho excessivo (Foto: Patrícia Andrade/G1)

Lei que proíbe queima de fogos perto de animais tem multa de até R$ 2 mil em Teresina, PI

Entrou em vigor, em Teresina, a lei que proíbe a queima e soltura de fogos de artifícios próximos a animais. A multa em caso de descumprimento tem valor de R$ 2 mil, podendo chegar a R$ 10 mil em caso de reincidência. O estouro dos fogos produz desconforto nos animais, principalmente em períodos como o mês de junho durante as festas juninas.

Segundo o texto da lei a proibição não se aplica a eventos realizados por empresas devidamente cadastradas no Exército Brasileiro, que possuem registro cadastrado para a atividade de show pirotécnico e com a aprovação da Defesa Civil do Município de Teresina e eventos realizados com distância superior a dois quilômetros dos lugares especificados na lei.

De acordo com o médico veterinário do Hospital Veterinário Universitário (HVU), Thiago Sousa, as pessoas precisam se atentar ao comportamento dos animais, principlamnete em épocas comemorativas, onde é comum a utilização dos fogos de artifício.

“Os fogos de artifícios são bem comuns em duas fases do ano, que é neste período de festas juninas e no final do ano. Quando isso acontece os cães e gatos, por serem mais juntos ao ser humano, tendem a sofrer mais” disse o médico.

Animais podem ficar estressados e até ter paradas neurológicos por causa dos fogos.

Problemas de sáude do animal

O veterinário informou que no caso dos cães, os problemas mais comuns são convulsões e distúrbios neurológicos decorrente da queima de fogos. “O cão tem a audição bem mais sensível do que os outros animais e o gato também tem, até por que são animais descendentes de predadores. Então esses sentidos, numa forma geral, tanto o olfato, quanto o paladar e audição, eles são bem mais aguçados. Qualquer som, eles escutam com a maior intensidade do que a gente”, comentou Thiago Sousa.

O veterinário explicou ainda que a soltura dos fogos próximos desses animais é aterrorizante para eles, principalmente em ambientes onde existe mais de três animais. “Um acaba assustando o outro”, falou Thiago Sousa. Segundo o médico veterinário, quando os animais estão estressados pelo barulho dos fogos, o metabolismo hormonal acelera podendo causar até paradas cardiorrespiratórias.

“Eles acabam liberando uma série de hormônios de defesa como adrenalina e muitas vezes o animal apresenta paradas cardiorrespiratórias, convulsões, principalmente animais mais idosos que já têm problemas cardíacos e muitas vezes apresentam rejeição ao som alto” contou o médico de animais.

No caso dos gatos, há a possibilidade de infecções urinárias. “É secundário ao efeito dos fogos, ou seja, eles apresentam um tipo e infecção chamada cistite idiopática que é uma infecção urinária inicial sem causa definida, normalmente causadas por estresse”, disse o veterinário acrescentando que pode acontecer uma obstrução na bexiga do animal

Alerta

O médico veterinário também dá dicas de como proteger o animal do barulho causado pelos fogos de artifício. “A gente sempre aconselha que a maioria dos tutores, por conhecerem bem seus animais e sabem o tipo de comportamento que eles apresentam em paralelo aos fogos, possam isolar o animal, mas no bom sentido”, aconselhou Thiago Sousa.

Ele explica que o tutor pode colocar o animal dentro de um quarto forrado, ou introduzir uma música em som ambiente, ou ligar a TV em volume mais alto. ” Em último caso, se não tiver como fazer tudo isso, pode colocar bolinhas de algodão no ouvido do animal para que eles não ouçam o barulho externo, mas lembrando sempre da retirada dessa bolinhas para não gerar problemas posteriores” finalizou o veterinário.

A fiscalização e supervisão fica a cargo da Prefeitura Municipal de Teresina que ainda vai regulamentar a lei.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.