Costa do Peró (Foto: Paulo Araújo)

Lixo é a maior causa de morte de animais marinhos na Costa do Peró, em Cabo Frio, RJ

Noventa por cento dos animais marinhos resgatados mortos na Costa do Peró, na Região dos Lagos, são vítimas da ingestão de lixo no mar, principalmente plásticos. Os demais 10% são vitimados pelas redes de pesca. Os números são do CTA (Serviços de Meio Ambiente), empresa capixaba que, contratada pela Petrobras, monitora o litoral fluminense para ajudar na proteção dos animais marinhos. A CTA conta com 250 profissionais, altamente qualificados, para fazer este trabalho no Espírito Santo e no Rio.

O monitoramento dos 7,2 quilômetros da Costa do Peró, que vai da Praia das Conchas ao Pontal do Peró, é feito diariamente por um técnico da CTA. O biólogo Jefferson Felipe, coordenador do trecho que vai de Saquarema a Cabo Frio, disse que são resgatados em média 35 aves e animais marinhos, principalmente tartarugas, na Costa do Peró. Os números são maiores no inverno.

— As tartarugas se alimentam de algas. Quando elas encontram plásticos (como embalagens de picolé, de balas e canudos, por exemplo) boiando no mar elas se alimentam do lixo. Isso é fatal. A causa da morte é constatada quando é feita a necropsia do animal no nosso laboratório na Praia Seca – explica o biólogo

Ao destacar a beleza natural da Costa do Peró, Jefferson Felipe defende campanhas intensivas de educação ambiental e apoio ao projeto Bandeira Azul, que visa também a preservação do ambiente natural da praia:

— Muitos banhistas estão fazendo churrasco na orla do Pontal do Peró. Isso é muito ruim para o ambiente local, ainda intacto, além dos resíduos que vão para o mar e ameaçam os animais marinhos e as aves – adverte.

O monitoramento diário dos técnicos do CTA costuma ser prejudicado com o bloqueio da orla por barracas de quiosques e por ambulantes. O problema acontece em dias de muito movimento nas praias do Peró e das Conchas. Quem encontrar animais marinhos e aves nas praias pode acionar o CTA pelo telefone 0800 0095444 (ligação gratuita).

O projeto de monitoramento feito pela CTA é desenvolvido para o atendimento da condicionante do licenciamento ambiental das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na costa fluminense e capixaba.

Fonte: Folha Sustentável

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.