Macaco-prego fica 4 dias em pé de manga, foge e morre eletrocutado em Campo Grande, MS

Macaco-prego fica 4 dias em pé de manga, foge e morre eletrocutado em Campo Grande, MS

Um macaco-prego morreu eletrocutado nesta quarta-feira (12) depois de encostar na fiação de um poste de energia elétrica na Rua São Benedito, no Bairro Santa Luzia, em Campo Grande. Antes disso, segundo relato de moradores, o animal silvestre permaneceu quatro dias em um pé de manga da região.

Conforme apurado pelo Campo Grande News, o animal foi perseguido por cães e subiu no poste para tentar fugir. O problema, de acordo com os moradores, é que desde o último domingo (9), a PMA (Polícia Militar Ambiental) e o Corpo de Bombeiros foram acionados para resgatarem o macaco, mas nenhum dos órgãos foi ao local.

“Eu liguei e um ficou jogando para o lado do outro. Ele estava há quatro dias num pé de manga de uma casa, PMA não quis ir resgatar e hoje ele fugiu de cachorros e levou o choque”, contou um dos moradores, que não quis se identificar.

O impasse nesta manhã é sobre quem irá retirar a carcaça da fiação. “O bicho vai apodrecer se depender do resgate. Está lá preso nos fios de alta tensão pelo rabo”, finalizou.

Desfazer de animais mortos em terrenos impróprios e até mesmo nas ruas da cidade coloca a saúde das pessoas em risco por meio da disseminação de pragas e doenças, e também caracteriza crime.

No entanto, quando o animal morre na área urbana há o recolhimento feito pela CG Solurb. Pouca gente sabe, mas esse serviço pode ser solicitado pelo 0800 647 1005.

No caso do macaco, segundo a Solurb, a Energisa deve ser acionada ao menos para interromper o fornecimento de energia para que o animal seja retirado sem colocar a vida dos trabalhadores em risco.

O Campo Grande News entrou em contato com a Energisa, que informou que equipes da concessionária estiveram no local e retiraram o macaco da rede elétrica. Os técnicos entregaram o animal à PMA (Polícia Militar Ambiental). A Energisa pontua que não houve problemas de fornecimento de energia durante o recolhimento.

Resgate de animais vivos – A PMA faz o trabalho de resgate de animais, mas prioriza a prevenção de crimes. A população pode acionar a polícia ambiental, mas deve ter paciência, em razão da grande quantidade de ocorrências.

Para ajudar nesses atendimentos, 30 policiais municipais se formaram no início de novembro, para dar apoio à PMA e demais atendimentos ambientais. Um dos serviços da Patrulha é o de resgate de animais silvestres.

A capacitação tem a intenção de desafogar o número de ocorrências atendidas pela PMA, que além de Campo Grande, atende denúncias por todo o Estado.

Ligações e denúncias podem ser feitas por meio do telefone 153. Os animais depois de capturados são levados para o Creas (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres). A orientação é que as pessoas não se aproximem dos animais silvestres e evitem que crianças cheguem perto.

Matéria editada às 9h, do dia 14 de dezembro, parta inclusão de informações.

Por Danielle Valentim

Fonte: Campo Grande News 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.