Cães foram sacrificados pela prefeitura de Igaracy, Sertão da Paraíba (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Mais de 30 cachorros são sacrificados por prefeitura em Igaracy, Sertão da PB

Mais de 30 cachorros foram sacrificados pela prefeitura no município de Igaracy, no Sertão paraibano, na terça-feira (6). De acordo com o secretário de Saúde do município, José Carlos Maia, o motivo é que os animais estavam abandonados nas ruas, com perfil violento e com doenças.

Os animais passaram por procedimento de eutanásia, a partir da aplicação de medicamentos pela Prefeitura Municipal e pelo próprio secretário José Carlos, que também é veterinário. O secretário alega que a medida foi tomada porque o município não tinha outra destinação para os animais em situação de doença abandonados na rua e que todos estavam com quadro de doenças em processo terminal.

No dia 1º de março, o vereador Damião Clementino da Silva requereu na Câmara Municipal de Igaracy providências sobre a situação dos animais. Porém, o parlamentar afirmou que o pedido foi de buscar solução para o caso e não para que os animais fossem mortos.

Cerca de 30 animais de rua foram sacrificados nesta terça-feira (6) no município de Igaracy (Foto: Reprodução / Tv Paraíba)
Cerca de 30 animais de rua foram sacrificados nesta terça-feira (6) no município de Igaracy (Foto: Reprodução / Tv Paraíba)

Uma comissão da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional de Piancó deve investigar o caso. O presidente da Comissão de Direito Animal da OAB na Paraíba (OAB-PB), Francisco Garcia, explicou que o ato não poderia ter sido feito considerando a legislação atual e que vão ser cobradas explicações ao município.

“A lei nº 13.426 de 2017 impede que haja a prática da eutanásia como meio de controle populacional de cães e gatos e a lei 9.605 de 1998 [conhecida pela lei dos crimes ambientais] proíbe expressamente os maus-tratos contra animais, tipificando essa prática como crime. Para que essa medida aconteça legalmente existe a necessidade de laudos médicos veterinários, atestando a gravidade da doença em cada um dos animais submetidos à eutanásia, e ainda assim, só é autorizada se não houver tratamento clínico para cura da doença”, ressaltou.

Vídeo: Moradores de Igaracy denunciam que prefeitura realizou sacrifício de cães

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Que ONGs e o Ministério Público acionem judicialmente a Prefeitura pelo ocorrido. A matança de animais teoricamente justifica até mesmo uma ação por improbidade administrativa, o que poderia resultar na cassação do prefeito, já que, além de imoral, a matança de animais para controle populacional é um desperdício de recursos públicos devido à sua comprovada e notória ineficácia. Lamentavelmente, os ministérios públicos não costumam ir até as últimas consequências quando a questão envolve animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.