Mais de 40 deputados declararam apoio ao PL dos Bois em SP

Ativistas comparecerão em peso na votação do dia 26 na Alesp



Até o momento mais de 40 deputados já declararam que votarão a favor do Projeto de Lei 31/2018, o PL dos Bois, que proíbe o embarque de animais vivos para fins de abate pelos portos de SP (Santos e São Sebastião). CAUÊ MACRIS, presidente da Alesp, SE COMPROMETEU a colocar o PL 31 na pauta do dia 26, próxima terça, durante uma reunião com cerca de 40 ativistas no dia 19 de junho (vide FOTO abaixo).

Desde então, numa tarefa corpo a corpo, os ativistas estão percorrendo diversos gabinetes e lideranças dentro da Alesp a fim de firmar o compromisso da votação. Inclusive, uma LISTA COM OS DEPUTADOS A FAVOR DO PL 31 já está sendo divulgada nas redes sociais (vide abaixo) e outra LISTA, depois da votação, será publicada com o PLACAR de deputados que cumprirem ou não com a palavra.

Importante ressaltar que não são apenas protetores de animais e vegetarianos ou veganos que desejam que o embarque de bois vivos chegue ao fim. O sofrimento desses animais que passam semanas dentro de um navio em meio a fezes, urina, vômitos, sem condições de descansar e com dificuldade de respirar devido ao forte cheiro de amônia, tem causado impacto até mesmo nas pessoas que comem carne.

Além das péssimas condições que enfrentam nos navios, no país de destino eles não são insensibilizados como ditam as normas de abate no Brasil. Lá fora são mantidos conscientes enquanto um corte no pescoço os faz sangrar lentamente até a morte. E esse comércio, além de cruel com os animais, também prejudica o meio ambiente (com a eliminação de toneladas de excrementos em alto mar).

A questão ficou ainda mais urgente quando, este mês, em apenas sete dias, três bois se jogaram do navio Aldelta buscando fugir da morte, sendo o último resgatado no dia 15, numa praia de São Sebastião. O boizinho, que causou comoção nacional e internacional, foi batizado de Herói Elias por ter nadado por 5 horas em água extremamente fria. Ele sobreviveu, virou símbolo de resistência, mas foi reembarcado.

Um dos bois resgatados em São Sebastião, SP.
Um dos bois resgatados em São Sebastião, SP.

Vale ressaltar ainda que boa parte do setor de carne também tem se rebelado contra a exportação de animais vivos dada a escassez de matéria-prima para os frigoríficos brasileiros. O diretor-executivo do Sicadergs – Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados do Estado, Zilmar Moussalle, diz que as exportações não geram empregos e prejudicam os frigoríficos e também setores como de coureiro-calçadista, farmacêutico e graxarias, que dependem da matéria-prima da pecuária.

Trecho da reportagem da revista “Agroanalysis” de 2008 já previa muito bem a problemática http://www.agroanalysis.com.br/4/2008/mercado-negocios/pecuaria-i-exportacao-de-gado-vivo:

“O rebanho brasileiro de gado de corte diminuiu ao longo dos últimos cinco anos. A remuneração da atividade esteve comprometida e muitas matrizes foram abatidas. Agora, uma exportação desenfreda de bovinos vivos é danosa para o País, pois deixa de gerar valor agregado nos diversos tipos de indústria que dependem dos produtos e sub-produtos oferecidos pelo boi, tais como frigoríficos, fábricas de tintas, curtumes, fábricas de sabão e sabonete, as indústrias de embutidos, de ração animal, de produtos de limpeza, farmacêutica, do biodiesel, da farinha de carne e ossos, de artefatos de couros e muitos outros setores da economia dependentes do boi como matéria-prima. O estado perde capital, emprego e pratica um comércio desfavorável. O comprador industrializa a carne em seu próprio país, aproveitando os subprodutos, sobretudo o couro”.

“Todas as pessoas que tomam conhecimento de quanto os animais sofrem calados ficam terminantemente contra o embarque de animais vivos”, apontou Feliciano Filho (PRP) autor do PL 31. “Além disso, não há nem ao menos motivação econômica para tamanha crueldade. A receita proveniente do embarque de animal vivo corresponde a meros 0,01% de todo o faturamento do estado de SP com exportação de carne. Ou seja, não prejudica o estado e atende a um anseio da sociedade que não aguenta mais essa maratona de dor e crueldade!”, diz o deputado.

Deputados que até o momento já disseram que votarão a favor do PL 31:

  1. Carlos Giannazi – PSOL
  2. Raul Marcelo – PSOL
  3. Caio França – PSB
  4. Orlando Bolçone – PSB
  5. Rafael Silva – PSB
  6. Coronel Camilo – PSD
  7. Marta Costa – PSD
  8. Cezinha de Madureira – PSD
  9. Rita Passos – PSD
  10. Celso Nascimento – PSC
  11. André do Prado – PR
  12. Pedro Kaká – PODE
  13. Leci Brandão – PCdoB
  14. Rogério Nogueira – DEM
  15. Edmir Chedid – DEM
  16. Vaz de Lima – PSDB
  17. Célia Leão – PSDB
  18. Cássio Navarro – PSDB
  19. Marcos Zerbini – PSDB
  20. André Soares – PSDC
  21. Clélia Gomes – AVANTE
  22. Roberto Tripoli – PV
  23. Chico Sardelli – PV
  24. Beth Sahão – PT
  25. Alencar Santana Braga – PT
  26. Ana do Carmo – PT
  27. Carlos Neder – PT
  28. Enio Tatto – PT
  29. Geraldo Cruz – PT
  30. José Zico Prado – PT
  31. José Américo – PT
  32. Luiz Fernando – PT
  33. Luiz Turco – PT
  34. Marcos Martins – PT
  35. Márcia Lia – PT
  36. Professor Auriel – PT
  37. Teonilio Barba – PT
  38. Roque Barbiere – PTB
  39. Padre Afonso – PV
  40. Fernando Capez – PSDB
  41. Coronel Telhada – PP
  42. Carlos Cezar – PSB

Conheça o PL 31/2018 na íntegra http://felicianofilho.com.br/leis/projeto-de-lei-que-proibe-no-estado-de-sao-paulo-o-embarque-de-animais-vivos-no-transporte-maritimo-e-fluvial-com-a-finalidade-de-abate-para-o-consumo/

Por Fátima Chuecco

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.