Mais de 50 aves são apreendidas em Itacajá — Foto: BPMA/Divulgação

Mais de 50 pássaros são apreendidos e homens são multados por maus-tratos em Itacajá, TO

Um total de 58 pássaros foram apreendidos no trevo que dá acesso à cidade de Itacajá, na noite desta quinta-feira (27), por volta das 21h. Os animais estavam em um carro com três homens, sem licença para transportar animais silvestres.

Entre as aves havia 51 curiós, quatro filhotes de papagaio e três filhotes de arara azul, espécie ameaçada de extinção.

Os homens e os pássaros foram levados para a delegacia. Sandro Oliveira Santana assumiu ser responsável pelos 51 Curiós e foi multado em R$ 25.500 pelo transporte ilegal de animais silvestres e em outros R$ 25.500 por maus-tratos a esses animais.

Osiel Dias Cavalcante assumiu ser responsável por dois filhotes de papagaios e um filhote de arara azul. Ele foi multado em R$ 6 mil pelo transporte ilegal de animais silvestres, além de R$ 1.500 por maus-tratos a esses animais.

José Domingos Dias Botelho assumiu ser responsável por dois filhotes de papagaio e dois filhotes de araras azuis. A equipe lavrou um termo de apreensão, pois o homem não portava documentos pessoais, nem sabia o número do RG e CPF. Isso impediu que fosse lavrado o auto de infração.

Os quatro filhotes de papagaio e os três filhotes de Arara Azul serão levados para o CETAS de Palmas. Já entre os 51 curiós, 46 foram soltos numa reserva legal da Fazenda São João, em Tupirama. Outros cinco estavam mortos.

Crime

O Batalhão da Polícia Militar Ambiental adverte que quem vende, expõe à venda, exporta ou adquire, guarda, tem em cativeiro ou depósito, utiliza ou transporta ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, como produtos e objetos dela, provenientes de criadouros não autorizados ou sem permissão, licença ou autorização da autoridade competente, comete o crime. A pena é prisão de seis meses a um ano e multa.

Além disso, quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, também comete crime. A pena é prisão, de três meses a um ano e multa.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.